maio 27, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

EUA dizem que reunião da ONU é chance de Rússia se explicar

EUA dizem que reunião da ONU é chance de Rússia se explicar

O primeiro vice-representante permanente da Rússia nas Nações Unidas, Dmitry Polyanskiy, fala durante uma reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas na 76ª Sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, EUA, 23 de setembro de 2021. John Minchillo/Pool via REUTERS

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

NAÇÕES UNIDAS, 28 Jan (Reuters) – Uma reunião do Conselho de Segurança das Nações Unidas nesta segunda-feira sobre o aumento de tropas russas na fronteira com a Ucrânia será “uma oportunidade para a Rússia explicar o que está fazendo”, disse um alto funcionário do governo dos Estados Unidos, enquanto a Rússia sinalizou que poderia tentar parar a discussão do conselho público.

“Embora eu ache que haverá algum desvio e talvez alguma desinformação… há também uma clara oportunidade para a Rússia dizer ao Conselho de Segurança se eles veem um caminho para a diplomacia ou estão interessados ​​em buscar um conflito”, disse o funcionário dos EUA, falando sob condição de anonimato.

A Rússia concentrou cerca de 100.000 soldados perto da fronteira com a Ucrânia, negando planos de invasão. Várias rodadas de negociações ocorreram sem um avanço, mas tanto os Estados Unidos quanto a aliança militar da OTAN e a Rússia mantiveram a porta aberta para um maior diálogo.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

A embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, Linda Thomas-Greenfield, pediu na quinta-feira que o Conselho de Segurança da ONU de 15 membros se reúna publicamente na segunda-feira para discutir o “comportamento ameaçador” da Rússia contra a Ucrânia e o acúmulo de tropas russas nas fronteiras da Ucrânia e na Bielorrússia.

READ  Exclusivo: Talibã nomeia enviado afegão à ONU e pede para falar com líderes mundiais

O vice-embaixador da Rússia na ONU, Dmitry Polyanskiy, na sexta-feira, os comentários de Thomas-Greenfield como “suposições e suposições rejeitadas infundadas”.

“Esperamos que outros membros do Conselho de Segurança da ONU não apoiem esse claro golpe de relações públicas (relações públicas) vergonhoso para a reputação do Conselho de Segurança da ONU”, disse Polyanskiy em um post no Twitter, sinalizando que a Rússia poderia convocar uma votação em uma tentativa de parar a reunião.

Qualquer membro do Conselho de Segurança poderia pedir uma votação para bloquear a reunião. Um mínimo de nove votos são necessários para prosseguir com uma reunião e China, Rússia, Estados Unidos, Grã-Bretanha e França não podem exercer seus vetos. Diplomatas da ONU disseram que qualquer tentativa de interromper a reunião na segunda-feira provavelmente será derrotada.

“Estamos confiantes de que há amplo apoio em todo o conselho para esta reunião”, disse o funcionário dos EUA. Um segundo alto funcionário do governo dos EUA descreveu a reunião do conselho “como uma ferramenta preventiva em nossos esforços diplomáticos”.

O Conselho de Segurança da ONU se reuniu dezenas de vezes sobre a crise na Ucrânia desde que a Rússia anexou a Crimeia em 2014. Não pode tomar nenhuma medida, pois a Rússia é um dos cinco poderes de veto do conselho.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

Reportagem de Michelle Nichols, reportagem adicional de Steve Holland; Edição por Alistair Bell e Cynthia Osterman

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.