Fevereiro 22, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

A Rite Aid foi atingida por uma proibição de reconhecimento facial de cinco anos por uso “imprudente”.

A Rite Aid foi atingida por uma proibição de reconhecimento facial de cinco anos por uso “imprudente”.

A Rite Aid não tem permissão para usar tecnologia de reconhecimento facial alimentada por IA por mais cinco anos como parte do O acordo que você alcançou Com a Comissão Federal de Comércio. em Denúncia apresentada terça-feiraa Comissão Federal de Comércio acusa a Rite Aid de usar sistemas de vigilância facial de maneira “imprudente” de 2012 a 2020.

Durante este período, a FTC afirma que a Rite Aid utilizou tecnologia de reconhecimento facial “para capturar imagens de todos os consumidores à medida que entravam ou circulavam pelas lojas”. Ela então supostamente criou um banco de dados de clientes identificados como ladrões de lojas ou exibindo algum outro tipo de comportamento suspeito. Para alguns clientes, o banco de dados pode conter “informações paralelas”, como nomes, datas de nascimento e atividades que a loja considera suspeitas, segundo a denúncia.

Funcionários da Rite Aid supostamente seguiram clientes sinalizados nas lojas e realizaram buscas

Quando um comprador denunciado entra em uma loja Rite Aid usando tecnologia de reconhecimento facial, a FTC afirma que os funcionários receberão um “alerta de jogo” enviado para seus telefones celulares. Como resultado, os funcionários da Rite Aid supostamente seguiram os clientes até as lojas, realizaram buscas, acusaram-nos publicamente de furto em lojas e até pediram às autoridades que removessem alguns clientes, de acordo com a denúncia. A Comissão Federal de Comércio afirma que a Rite Aid identificou incorretamente as pessoas como compradores previamente sinalizados pelo sistema, com incidentes de “desproporcionalidade” afetando pessoas de cor.

Além disso, a rede de farmácias não informou aos clientes que utilizava tecnologia de reconhecimento facial, enquanto os funcionários foram “instruídos a não divulgar” essa informação, afirma a denúncia. A maioria das lojas Rite Aid equipadas com tecnologia de reconhecimento facial estão localizadas na cidade de Nova York, Los Angeles, Sacramento, Filadélfia, Baltimore, Detroit, Atlantic City e algumas outras cidades.

READ  Mesmo em Shenzhen, o centro de tecnologia, o mercado imobiliário da China está passando por calafrios

“O uso imprudente de sistemas de vigilância facial pela Rite Aid deixou seus clientes enfrentando humilhações e outros danos, e as violações de suas ordens colocam em risco as informações confidenciais dos consumidores”, disse Samuel Levin, diretor do Bureau de Proteção ao Consumidor da FTC, em um comunicado. “A ordem inovadora de hoje deixa claro que a Comissão estará vigilante na proteção do público contra vigilância biométrica injusta e práticas injustas de segurança de dados.”

Além de uma proibição de cinco anos do uso da tecnologia de reconhecimento facial, imposta pela Federal Trade Commission (FTC). Sistema proposto Exige que a Rite Aid crie “salvaguardas abrangentes” para proteger os clientes. A empresa deve excluir “todas as fotos e vídeos” de clientes coletados por seu sistema de reconhecimento facial, implementar um programa de segurança de dados e notificar por escrito os clientes cujos dados biométricos serão futuramente registrados em um banco de dados, entre outras disposições. Desde Rite Aid Atualmente está em processo de falênciaA FTC afirma que a ordem entrará em vigor assim que o tribunal de falências e o tribunal distrital federal aprovarem as ações.

Além da Rite Aid, muitas lojas de varejo implementaram o reconhecimento facial como forma de monitorar os hóspedes. Em 2021, 35 organizações se uniram para exigir que varejistas como Albertsons, Macy’s e Ace Hardware parassem de usar tecnologia. Alguns estados, incluindo Maine, implementaram leis para regular o uso de reconhecimento facial A cidade de Nova York exige Os locais e varejistas notificarão os clientes se a coleta de dados biométricos estiver em uso.