Fevereiro 25, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

A empresa admite que o holograma alimentado por IA de Mario não é endossado pela Nintendo.

A empresa admite que o holograma alimentado por IA de Mario não é endossado pela Nintendo.

A empresa por trás da tecnologia admitiu agora que um perturbador holograma de Mario desenvolvido pela Nintendo, alimentado por IA, no Consumer Electronics Show de 2024 em Las Vegas, não era licenciado e não era oficial.

O Mario de aparência estranha e voz robótica foi obra da Proto Hologram, uma empresa que cria hologramas dentro de estruturas grandes e quadradas com as quais você pode conversar e interagir.

Ainda mais bizarro, o holograma Mario deveria ser uma colaboração com a AARP, um grupo americano de defesa de pessoas com mais de 50 anos – aparentemente para mostrar como os hologramas de IA poderiam combater a solidão em pessoas mais velhas. Mas com Mário? E mais – com um modelo 3D do Mario quebrado e com áudio ruim?


Boletim Eurogamer: Concurso de Notícias 2023!

Imagens 3D de Mario dos participantes da CES mostram o encanador animado respondendo a perguntas com respostas genéricas e movimentos labiais irregulares, enquanto a voz estranha emite uma resposta robótica.

Depois que a filmagem atraiu a atenção nas redes sociais e os usuários começaram a fazer perguntas, o fabricante de hologramas Proto respondeu.

Um porta-voz da Proto disse: “A animação 3D alimentada por IA vista brevemente hoje é uma prova de conceito incompleta que foi testada para o cliente demonstrar as capacidades tecnológicas e a inovação”. Kotaku. “Não se destina ao lançamento comercial.

“AARP e Nintendo não participaram da exposição acidental de hoje. O fato de tantos jogadores do mundo terem notado é que eles são os melhores fãs do mundo e nós os aplaudimos.”

A Eurogamer contactou a Nintendo para comentar a utilização de Mario no holograma do Proto, mas ainda não recebeu resposta.

READ  O MIG Switch funciona como anunciado em sua maior parte, mas ainda há preocupações sobre os riscos de banimento