Beberes – Canto da Vinha

em Cultura

A boa junção de uvas das castas Aragonês e Shyrah, resultou num vinho retinto, encorpado e volumoso sem ofender o palato, antes pelo contrário, regozijou-se, a razão residiu no facto de após a prova sensorial na qual avultou a persistência de aromas a fruta muito bem madura, vermelha e roxa, e algum mineral (pareceu-me), acompanhou uma refeição tipicamente ribatejana – fatias de queijo merendeiro e rodelas de chouriço assado, torricado e costeletas de borrego acrescidas de migas que perderam no confronto, as costeletas superaram nas atenções. Salvo melhor opinião este tinto “Canto da Vinha” é capaz de aguentar bem estadia prolongada na casa de cada qual, até ao almoço dedicado ao cozido de carnes e enchidos, feijoada opulenta, dobrada com feijão branco, sem esquecer as carnes vermelhas e queijos de todas as cataduras.

Origem TEJO. Engarrafado por Sociedade Ideal de Vinhos. Aveiras de Cima. Ano de colheita: 2017. Graduação: 14.º. 

Armando Fernandes

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Ultima de Cultura

AMAR O AZEITE

Na próxima edição do Festival Nacional de Gastronomia o Azeite será o
0 0.00
Ir para Topo