fevereiro 9, 2023

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Conversas de Zelensky com outros líderes indicam turbulência diplomática sobre a Ucrânia

Conversas de Zelensky com outros líderes indicam turbulência diplomática sobre a Ucrânia

Por Nick Starkoff

KIEV (Reuters) – O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, conversou com o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, e os líderes da Turquia e da França neste domingo, em um aumento na diplomacia sobre a guerra de 10 meses iniciada pela Rússia.

“Estamos constantemente trabalhando com parceiros”, disse Zelensky em seu vídeo noturno, acrescentando que espera alguns “resultados importantes” na próxima semana da série de eventos internacionais que abordarão a situação na Ucrânia.

Embora Zelensky tenha mantido inúmeras conversas com Biden, o presidente francês Emmanuel Macron e o presidente turco Recep Tayyip Erdogan desde a invasão das forças russas no final de fevereiro, o acúmulo de discussões em apenas um dia não é uma ocorrência comum.

Zelensky disse que agradeceu a Biden pela assistência “de defesa e financeira sem precedentes” que os Estados Unidos forneceram à Ucrânia e conversou com o presidente dos EUA sobre sistemas eficazes de defesa antiaérea para proteger a população.

Mais cedo, Zelensky disse que teve uma conversa “muito significativa” com Macron sobre “defesa, energia, economia e diplomacia” que durou mais de uma hora e conversas “muito específicas” com Erdogan sobre a garantia das exportações de grãos da Ucrânia.

A Turquia, que mediou as negociações de paz nos primeiros meses da guerra, trabalhou ao lado das Nações Unidas em um acordo de grãos e abriu os portos ucranianos para exportações em julho, após um bloqueio russo de fato de seis meses.

O gabinete de Erdogan disse que o líder turco fez uma ligação para o presidente russo, Vladimir Putin, no domingo, pedindo um fim rápido para o conflito.

Putin disse na semana passada que a quase total perda de confiança de Moscou no Ocidente tornaria mais difícil chegar a um acordo final sobre a Ucrânia e alertou para uma guerra prolongada.

READ  Atualizações ao vivo: a guerra da Rússia na Ucrânia

Macron defendeu a diplomacia no conflito, mas suas mensagens conflitantes de que cabe a Kiev decidir quando negociar com Moscou, bem como de que as garantias de segurança são essenciais para a Rússia, alarmaram alguns aliados ocidentais, Kiev e os países bálticos.

Não há negociações de paz e não há fim à vista para o conflito mais sangrento da Europa desde a Segunda Guerra Mundial, que Moscou chamou de “operação militar especial” e a Ucrânia e seus aliados um ato de agressão não provocada.

Moscou não mostra sinais de estar disposta a respeitar a soberania da Ucrânia e as fronteiras pré-guerra, dizendo que as quatro regiões que afirma ter anexado da Ucrânia em setembro fazem parte da Rússia “para sempre”. O governo de Kiev descartou a possibilidade de ceder qualquer terra à Rússia em troca da paz.

No terreno, na Ucrânia, toda a linha da Frente Oriental foi continuamente bombardeada à medida que irrompiam combates intensos. Moscou também tem como alvo a infraestrutura de energia da Ucrânia com ondas de ataques com mísseis e drones, às vezes cortando a eletricidade de milhões de civis no inverno, quando as temperaturas médias podem ficar vários graus abaixo de zero.

(Reportagem de Nick Starkoff em Kiev; Reportagem adicional de Ronald Popeskey em Winnipeg, Canadá; Redação de Lydia Kelly; Edição de Grant McCall)