agosto 19, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Uma onda de calor brutal viaja do Reino Unido e da França para a Europa Central

Uma onda de calor brutal viaja do Reino Unido e da França para a Europa Central

Suspensão

onda de calor trouxe Temperaturas recordes para a Grã-Bretanha Partes da França devem se deslocar para o leste pela Europa Central na quarta-feira, com cientistas alertando para “níveis muito altos” de poluição por ozônio no continente.

O número de mortos de uma cúpula térmica originada de uma área extensa de alta pressão sobre a Europa Ocidental está aumentando, e só Portugal registrou mais de 1.000 mortes relacionadas ao clima severo. Na quarta-feira, o Instituto Português do Mar e da Atmosfera emitiu um aviso “laranja” de tempo quente, o máximo.

O Serviço Meteorológico Alemão esperava que o foco de calor mudasse para leste, depois que o dia mais quente do ano até agora foi registrado na terça-feira, com temperaturas chegando a 103,1 graus (39,5 graus Celsius) no oeste do país.

Cidades na Bélgica e na Holanda também Temperaturas registradas Acima de 100 graus, pouco abaixo dos recordes estabelecidos na onda de calor de julho de 2019, Segundo o historiador meteorológico Maximiliano Herrera.

Enquanto isso, bombeiros na França, Espanha, Grécia e Grã-Bretanha lutaram contra incêndios florestais exacerbados pelo aumento das temperaturas. As autoridades ordenaram a evacuação de um hospital na área de Atenas.

Estes mapas mostram o quão quente está na Europa e nos Estados Unidos

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, disse emissora pública da BBC Aquela terça-feira foi o dia mais movimentado da brigada desde a Segunda Guerra Mundial. Khan disse que cerca de 2.600 ligações foram feitas para o Serviço de Bombeiros de Londres – muito mais do que a média de 350 ligações por dia.

“HELLFIRE”, dizia a primeira página do jornal britânico The Sun, na quarta-feira, quando uma grande operação de limpeza começou nas comunidades afetadas. A frase “London queima” se tornou viral no Twitter quando ele compartilhou alguns vídeos e fotos de chamas lambendo rodovias e dizimando carros e casas em toda a cidade.

READ  Alemanha informa à russa Gazprom que sua turbina está pronta para oleoduto

Na quarta-feira, as temperaturas na Grã-Bretanha caíram drasticamente, trazendo uma brisa fresca e um pouco de chuva – embora o Met Service tenha alertado sobre tempestades e a possibilidade de inundações.

Condições extremas de seca e calor extremo aumentaram drasticamente as chances de incêndios florestais se espalharem, de acordo com o Serviço de Monitoramento Climático Copernicus da União Europeia. Grande parte da Europa Ocidental estava em ‘grave perigo de incêndio’ Ele disse Terça-feira.

Além de aumentar as emissões de carbono dos incêndios florestais, “níveis muito altos” de poluição por ozônio causados ​​pela onda de calor podem afetar o norte e o oeste da Europa nos próximos dias, alertaram cientistas copernicanos.

Os cientistas disseram que o ozônio é um dos principais componentes da poluição urbana em baixas altitudes.

“Os efeitos potenciais da grave poluição por ozônio na saúde humana podem ser significativos em termos de doenças respiratórias e cardiovasculares”, disse Mark Barrington, cientista-chefe copernicano, em comunicado.

Como se manter seguro em temperaturas extremas

Como alguns especialistas apontaram para o papel afetado pelas mudanças climáticas nas temperaturas recordes, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, realizou um “Momento pela Natureza” na terça-feira.

“Nossos estilos de vida – baseados na produção, consumo, despoluição e poluição – nos trouxeram a esse estado terrível”, disse Guterres. Ele disse em uma mensagem de vídeo.

Mas, como as atividades humanas são a causa raiz da emergência planetária, isso significa que também temos a chave para as soluções. Agora é a hora de transformar nossa relação com a natureza e traçar um novo rumo.”

Hassan relatou de Londres.