Capela Dourada um tesouro escondido em Santarém

em Cultura

A Capela da Ordem Terceira de São Francisco, anexa à igreja do Hospital de Jesus Cristo, é um verdadeiro tesouro escondido do património de Santarém, que a Santa Casa da Misericórdia pretende restaurar com apoios mecenáticos.
Para o Prof. Dr. Vitor Serrão, historiador de arte e professor da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, “é um dos mais importantes monumentos de Santarém. Um espaço esplendoroso do estilo barroco em que é perfeita a relação entre as várias artes que aí se conjugaram, em determinado momento do reinado de D. Pedro II, para enriquecer o interior e fazer jus à riqueza da irmandade laica que a fundou”. No livro publicado em 2008, “A Capela Dourada de Santarém, Capela dos Terceiros Seculares da Ordem Terceira de São Francisco”, o Prof. Dr. Vitor Serrão deu conta das investigações realizadas sobre este “belíssimo exemplo de arte total do Barroco português e sobre a irmandade dos Terceiros, criada em 1668, e de que fazia parte o Conde de Unhão Rodrigo Teles de Meneses, em honra de quem o Padre António Vieira escreveu o notável Sermão das Exéquias do Conde de Unhão. Para o conceituado historiador de arte, “estamos perante uma verdadeira capela forrada a ouro, tão notável como são a Capela Dourada da Venerável Ordem Terceira Franciscana no Recife, ou a capela de Nossa Senhora da Piedade na Igreja de São Roque em Lisboa”.
“É fundamental lembrar todos os santarenos, e os visitantes da cidade, que possuem uma preciosidade do melhor estilo barroco que espera pela sua atenção, e o Património Cultural só se defende se for devidamente estimado e como tal reconhecido”, escreveu o historiador em recente artigo. “A Misericórdia de Santarém debate-se com falta de fundos para financiar a conservação e restauro desta capela”, afirma-nos o vice-provedor da Santa Casa, Luís Valente. A solução que a equipa liderada por Mário Rebelo pretende para financiar os trabalhos é uma candidatura a fundos comunitários.“Também procuramos apoios mecenáticos que possam ajudar a recuperar este tesouro único que temos na cidade de Santarém e que poucos conhecem”, afirma Luís Valente.

Deixe uma resposta

Your email address will not be published.

*

Ultima de Cultura

0 0.00
Ir para Topo