Maio 28, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

WGA permitirá inteligência artificial na escrita de roteiros – Diversos

WGA permitirá inteligência artificial na escrita de roteiros – Diversos

O Writers Guild of America propôs permitir que a IA escreva roteiros, desde que isso não afete os créditos dos escritores ou o restante.

O sindicato havia indicado anteriormente que proporia regulamentar o uso de inteligência artificial no processo de escrita, que surgiu recentemente como uma preocupação para escritores que temem perder empregos.

Mas, ao contrário de algumas previsões, o sindicato não está propondo uma proibição total do uso da tecnologia de IA.

Em vez disso, a proposta permitiria que o escritor usasse o ChatGPT para ajudar a escrever um roteiro sem ter que dividir os créditos de escrita ou dividir as sobras. Ou, um gerente de estúdio poderia entregar a um escritor um roteiro gerado por IA para reescrever ou polir, e o escritor ainda seria considerado o primeiro escritor do projeto.

Com efeito, a proposta trataria a IA como uma ferramenta – como o Rascunho Final ou um lápis – e não como um escritor. Parece destinado a permitir que os escritores se beneficiem da tecnologia sem serem arrastados para a arbitragem fiduciária com os fabricantes de software.

A proposta não contempla o cenário em que o programa de IA escreve o roteiro inteiramente por conta própria, sem o auxílio de uma pessoa.

A proposta do sindicato foi discutida na primeira sessão de negociação na segunda-feira com a Motion Picture and Television Producers Alliance. Três fontes confirmaram a sugestão.

Ainda não está claro se a AMPTP, que representa os estúdios, vai abraçar a ideia.

A proposta do WGA simplesmente afirma que o material gerado por IA não será considerado “literário” ou “material de origem”.

Esses termos são fundamentais para a atribuição de créditos de escritura, que por sua vez têm um impacto significativo na compensação residual.

“Material literário” é um termo-chave no acordo mínimo do WGA – é o que um “escritor” produz (incluindo histórias, tratamentos, roteiros, diálogos, esquetes, etc.). Se um programa de IA não pode produzir “material literário”, não pode ser considerado um “escritor” no projeto.

“Material de origem” refere-se a coisas como romances, peças de teatro e artigos de revistas, nos quais um roteiro pode ser baseado. Se o roteiro for baseado no material de origem, não é considerado um “roteiro original”. Um escritor também pode receber apenas um crédito de roteiro, em vez de um crédito escrito por.

O crédito “Escrito por” dá ao escritor o direito de receber o valor restante total do projeto, enquanto o crédito “Roteiro por” recebe 75%.

Declarando que o ChatGPT não pode escrever “material de origem”, o sindicato dirá que um escritor pode adaptar um conto escrito por IA e ainda obter crédito total “escrito”.

Tais cenários podem parecer rebuscados. Mas os avanços na tecnologia podem apresentar algumas das questões mais difíceis na negociação, já que nenhum dos lados quer abrir mão de algumas vantagens que podem se tornar mais importantes nos próximos anos.

A IA também pode ser usada para ajudar a escrever perguntas sobre “Perigo!” ou outras ofertas de “concursos e participação do público”.

O SAG-AFTRA também levantou preocupações sobre os efeitos da inteligência artificial nos artistas, principalmente em relação à perda de controle sobre sua imagem, voz e aparência.

O WGA deve continuar negociando pelas próximas duas semanas antes de informar os membros sobre os próximos passos e uma possível greve. O contrato termina em 1º de maio.