Fevereiro 28, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Astrônomos encontraram uma enorme nuvem de água flutuando no espaço profundo

Astrônomos encontraram uma enorme nuvem de água flutuando no espaço profundo

Astrônomos que estudam a formação de uma estrela distante descobriram uma nuvem de água no espaço. A água, que é a água comum como a conhecemos da Terra, bem como a água pesada – água onde os átomos de hidrogênio foram substituídos por deutério – pode oferecer novos insights sobre as origens da água em nosso sistema solar.

Essa descoberta também é interessante porque é a primeira vez que os astrônomos conseguem medir a composição da água em um disco protoplanetário. O disco de matéria fica a cerca de 1.300 anos-luz de distância na constelação de Orion chamada V883 Orionis. Além de nos ensinar mais sobre a origem da água em nosso sistema solar, os astrônomos de nuvens de água no espaço nos ensinam mais sobre a formação de estrelas.

De acordo com pesquisadores em coautoria com A nova folhaSer capaz de medir a quantidade de água em um disco protoplanetário finalmente nos ajudará a preencher as lacunas entre o que acontece entre a fase protoestrela e os cometas criados a partir dos restos de formações planetárias. É uma descoberta interessante que, sem dúvida, ajudará a levar nossa pesquisa sobre a formação de estrelas e planetas a novos níveis.

As novas descobertas podem explicar como a água foi transportada para a Terra pelos cometas. Fonte da imagem: Mopic/Adobe

Na maioria dos casos, a água no espaço é geralmente detectada como gelo de água. Este tipo de água é comumente encontrado em cometas e até mesmo em planetas que orbitam nos cinturões de asteróides e campos de asteróides. Na verdade, muitos acreditam que a água da Terra se originou de cometas. Mas de onde os cometas obtêm sua água? A descoberta desta nuvem de água no espaço pode ter nos dado a resposta.

Isso porque os cometas geralmente são feitos de restos de material usado para formar planetas. Planetas como estes serão formados dentro deste disco protoplanetário. Como tal, a concentração de água neste disco em particular pode responder a algumas perguntas sobre como alguns cometas obtêm concentrações tão altas de gelo de água neles. Além disso, é importante entender como a nuvem de água interage com o restante do disco.

READ  Ancestrais humanos à beira da extinção há 900.000 anos: ScienceAlert

O Atacama Large Millimeter/submillimeter Array (ALMA) tornou a descoberta possível. Localizado no Chile, este grande radiotelescópio pode identificar assinaturas químicas em discos protoplanetários, o que lhe permitiu detectar a nuvem de água em V883 Orionis.