Março 4, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Uma empresa diz que um petroleiro pegou fogo após um ataque com mísseis Houthi

Uma empresa diz que um petroleiro pegou fogo após um ataque com mísseis Houthi

Um petroleiro pegou fogo no Golfo de Aden, disse seu operador, depois que os Houthis disseram que o atingiram com um míssil.

O movimento disse ter como alvo o navio Marlin Luanda na noite de sexta-feira.

A operadora Trafigura disse à BBC que o ataque causou um incêndio em um dos tanques de carga do navio e equipamentos de combate a incêndio foram usados ​​para contê-lo.

Autoridades norte-americanas disseram à CBS, parceira da BBC nos EUA, que o navio-tanque foi atingido por um míssil balístico antinavio e que um navio da Marinha estava respondendo ao seu sinal de socorro.

Autoridades dos EUA disseram que nenhuma vítima foi relatada.

Este é o mais recente ataque à navegação comercial perpetrado pelos Houthis dentro e ao redor do Mar Vermelho.

As Operações de Comércio Marítimo do Reino Unido (UKMTO) disseram que o incidente ocorreu 60 milhas náuticas a sudeste de Aden.

O UKMTO disse que as autoridades foram informadas do último ataque e estavam respondendo, alertando outras embarcações para cruzarem com cautela e relatarem qualquer atividade suspeita.

A Trafigura confirmou que o navio foi atingido e que navios militares estavam a caminho para prestar assistência.

Um porta-voz da Trafigura disse: “Equipamentos de combate a incêndio são implantados a bordo do navio para extinguir e controlar o incêndio que eclodiu em um dos tanques de carga a estibordo”.

“A segurança da tripulação é a nossa principal prioridade. Continuamos em contato com o navio e monitorando cuidadosamente a situação.”

O petroleiro carrega a bandeira das Ilhas Marshall.

Desde Novembro, os Houthis apoiados pelo Irão lançaram dezenas de ataques a navios comerciais que atravessam o Mar Vermelho, uma das rotas marítimas mais movimentadas do mundo, em solidariedade com os palestinianos em Gaza, onde Israel combate o Hamas.

Os Estados Unidos e o Reino Unido lançaram ataques aéreos contra o grupo em resposta aos seus ataques, levando os Houthis a alertar que iriam aumentar os seus ataques ao transporte marítimo.

O Reino Unido e os EUA também visam o grupo militante apoiado pelo Irão com sanções para cortar os seus recursos financeiros.