agosto 9, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Jay Gruden diz que o time de futebol de Washington não deve mudar seu nome de Redskins

Jay Gruden, ex-técnico da Time de futebol de WashingtonEm entrevista na quarta-feira, ele discordou da equipe resolução Para mudar seu nome de nativos americanos.

Gruden, que foi demitido em 2019 após 0-5 no início de sua sexta temporada, disse ao programa de rádio “Russell & Meadhurst” que não estava muito interessado em penas voando, mas disse que a equipe “nunca deveria ter mudado o nome em primeiro lugar. “

A NFL traça planos de contingência para o Super Bowl no caso de forças da coalizão cobrindo a área de Los Angeles

E a equipe anunciou, na terça-feira, que revelará o nome da nova equipe no mês que vem. A equipe decidiu mudar seu nome na temporada de 2020 devido à polêmica em torno de seu antigo emblema de cabeça de índio e o nome sendo descrito pelos defensores nativos americanos como um calúnia racial.

O técnico do Washington Redskins, Jay Gruden, observa antes do jogo contra o New England Patriots na FedExField em 6 de outubro de 2019 em Landover, Maryland. (Foto de Scott Taich / Getty Images)
(Foto de Scott Taich / Getty Images)

Um radialista disse ao ex-técnico que ele não estava sozinho em sua opinião sobre a mudança de nome.

Ele disse, “Com a base de fãs aqui, essa é provavelmente a melhor coisa que eu já disse a eles, porque acho que 90% da base de fãs concorda 100% com você nisso também.”

O líder da equipe Jason Wright disse em um episódio do programa produzido pela equipe Making a Brand que a franquia está prestes a iniciar um novo capítulo, mas nossa história e legado não podem ser perdidos ao longo do caminho. “

Obtenha o aplicativo FOX News

O irmão de Gruden, John, processou o comissário Roger Goodell e a NFL, alegando que uma “campanha maliciosa e coordenada” foi usada para destruir sua carreira ao vazar e-mails antigos que ele havia enviado contendo comentários racistas, misóginos e homofóbicos.

A Associated Press contribuiu para este relatório