Março 4, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Walt Disney ganha o apoio da ValueAct na luta por seu futuro

Walt Disney ganha o apoio da ValueAct na luta por seu futuro

Abra o Editor's Digest gratuitamente

obteve o apoio do investidor ValueAct Capital, enquanto a empresa de entretenimento se prepara para travar uma batalha com o ativista Nelson Peltz sobre como aumentar os lucros e elevar o preço de suas ações.

A ValueAct, com sede em São Francisco e ativista conhecida por adotar uma abordagem mais colaborativa para atingir seus objetivos, construiu uma participação na Disney no ano passado, enquanto a empresa de entretenimento lutava com seu deficitário negócio de streaming.

A Disney disse na quarta-feira que celebrou um acordo de “compartilhamento de informações” com a ValueAct e consultará a empresa de investimentos sobre “questões estratégicas”.

A ValueAct disse que apoiará os candidatos eleitorais da Disney na reunião anual deste ano. Uma pessoa familiarizada com a situação disse que a empresa possui mais de cinco milhões de ações da Disney.

A assembleia de acionistas, normalmente realizada em março ou início de abril, deverá ser dolorosa depois que a Trian Partners, de Peltz, disse que planeja nomear candidatos para o conselho da Disney.

Trian controla uma participação de cerca de US$ 3 bilhões na Disney e esteve em desacordo com o grupo no ano passado, acusando o conselho de administração de ser muito próximo do CEO Bob Iger, que voltou a dirigir a empresa no final de 2022.

A Disney tem sido pressionada por investidores para conter o desperdício de gastos durante o boom do streaming, à medida que Wall Street volta seu foco para a lucratividade.

“A ValueAct Capital tem um histórico de colaboração e coordenação com as empresas nas quais investe, e seu co-CEO, Mason Murfitt, tem sido muito construtivo nas conversas que tivemos no ano passado”, disse Iger na quarta-feira.

READ  O S&P 500 está perto de se estabilizar, à medida que os investidores avaliam as chances de um aumento menos drástico das taxas

A abordagem menos intimidante do ValueAct ajudou-o a ganhar o favor dos alvos anteriores. A Salesforce, que há um ano enfrentou um ataque violento de investidores ativistas, incluindo a Elliott Management, deu a Morfit um assento no conselho.

Morfitt descreveu a Disney como “a empresa líder mundial em entretenimento”, acrescentando que possui “os melhores ativos de propriedade intelectual, marca esportiva, parques temáticos e experiência do setor”.

ValueAct não divulgou o tamanho de sua participação.

A notícia do acordo da Disney com a ValueAct surgiu no momento em que o ativista menor baseado em Nova York, Blackwells Capital, que tem uma participação de US$ 5 milhões na Disney, disse que apresentaria sua lista de indicados em uma reunião de acionistas.

A empresa, que anteriormente tinha como alvo a empresa de fitness Peloton, disse que planeja nomear a CEO da Warner Brothers Discovery, Jessica Schill, o cofundador do Tribeca Film Festival, Craig Hatkoff, e Leah Sullivan, a capitalista de risco que fundou a TaskRabbit.

Em dezembro, Trian disse que pretendia nomear Peltz e o ex-executivo da Disney Jay Rasulo como diretores. A medida marca a segunda tentativa de Peltz de forçar mudanças na Disney depois que uma tentativa anterior de permitir que Iger implementasse mudanças no grupo foi abortada.

A decisão de Trian segue a nomeação pela Disney, em novembro, do presidente e executivo-chefe do Morgan Stanley, James Gorman, e de Sir Jeremy Darroch, ex-CEO do Sky Group, como diretores do conselho.