Março 4, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Taylor Swift está pronta para fazer história com a gritaria da indústria musical

Taylor Swift está pronta para fazer história com a gritaria da indústria musical

Abra o Editor's Digest gratuitamente

Taylor Swift poderá fazer história no domingo se ganhar o prêmio musical de maior prestígio, o álbum do ano, pela quarta vez, tornando-se a primeira artista feminina a fazê-lo desde que o Grammy Awards foi criado na década de 1950, superando lendas como Frank Sinatra.

Mas por trás dos seus triunfos comerciais e culturais está uma indústria musical que parece menos certa este ano.

Swift foi realmente o brinde de Los Angeles esta semana, quando os executivos e artistas mais influentes da indústria musical se reuniram para eventos em torno da maior noite da indústria. Além do glamour da cerimônia e dos tapetes vermelhos, os Grammy Awards trazem implicações comerciais, com os artistas vencedores normalmente recebendo um aumento nas vendas e nas transmissões, bem como mais influência em contratos futuros.

Swift, cujas vendas representaram cerca de 2 por cento do total da indústria musical dos EUA no ano passado, foi maior do que todo o gênero jazz ou música clássica. coroado Pessoa mais poderosa da indústria pela Billboard – um prêmio que a publicação musical normalmente concede a executivos do sexo masculino.

Aos 34 anos, Swift derrotou uma sala cheia deles na noite de quarta-feira, incluindo o chefe de sua própria gravadora, Lucien Grainge, CEO da Universal Music, que alcançou o segundo lugar no ranking da Billboard. “Nunca em toda a minha carreira fiquei tão feliz por ser o número dois da lista.” Sarcasticamente Grainge é super competitivo.

No entanto, o sucesso da Swift é uma anomalia, não um indicador para o resto do negócio.

READ  William e Kate receberam os títulos de Príncipe, Princesa de Gales do Rei Charles

A Universal, gigante da indústria com a qual Swift assinou contrato, deverá demitir centenas de funcionários nas próximas semanas. A empresa não realizará sua mostra anual de artistas pré-Grammy, um evento tipicamente luxuoso, por medo de parecer insensível em meio às vendas, segundo pessoas familiarizadas com o assunto.

O CEO de uma grande gravadora descreveu o clima em Los Angeles esta semana como “ressaca” após vários anos de crescimento explosivo. “Estamos em uma fase diferente agora”, disse o CEO. “Vamos encarar.”

Outras empresas musicais também têm cortado empregos – nomeadamente o Spotify, o serviço de streaming que despediu mais de 2.000 trabalhadores no ano passado. A Warner Music cortou em março passado cerca de 4% de seu pessoal, ou 270 empregos, enquanto a editora BMG demitiu quase 40 funcionários em outubro.

A indústria musical ainda está crescendo, mas em um ritmo mais lento do que nos anos anteriores, quando o streaming ainda estava em sua infância. Nos nove meses encerrados em 30 de setembro de 2023, a receita da Universal aumentou 7% ano a ano. Em comparação, o crescimento das suas receitas no período correspondente em 2022 foi de 24 por cento. Outros grupos musicais estão vendo uma desaceleração semelhante.

Enquanto isso, a ansiedade em relação à inteligência artificial varreu a indústria musical nos últimos meses, enquanto dois pilares da indústria, Universal e TikTok, estão envolvidos numa briga total por dinheiro. Após o colapso das acaloradas negociações de licenciamento, a Universal tomou uma decisão dramática esta semana ao retirar suas músicas do TikTok.

Num sinal de quão tensas são as relações entre os dois países, as duas empresas negociaram farpas publicamente nos últimos dias. A TikTok chamou a ação da Universal de “ganancioso” e “interessante”, enquanto a Universal acusou o grupo de mídia social chinês de “intimidação”.

READ  Kanye West se ofereceu para deixar o emprego para se tornar estilista de Kim Kardashian em tempo integral

A partir de quinta-feira, a música de Swift foi sistematicamente removida e silenciada no TikTok, junto com músicas da enorme lista de estrelas da Universal como Ariana Grande, Drake, Lana Del Rey, ABBA e Olivia Rodrigo. Os fãs já estão se acostumando Capas Suas músicas favoritas para ouvir são as postagens do TikTok.

Noah Kahan, a estrela em ascensão indicada para “Melhor Artista Revelação” no Grammy Awards, expressou preocupação com a decisão de sua gravadora. “Não poderei mais promover minha música no TikTok… Provavelmente ficarei bem, certo?”, disse ele em um post no aplicativo. “Vou cair de pé, certo? Certo?”