Março 4, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Os Estados Unidos anunciam uma força ampliada de proteção marítima no Mar Vermelho  Iémen

Os Estados Unidos anunciam uma força ampliada de proteção marítima no Mar Vermelho Iémen

Os Estados Unidos deverão anunciar o lançamento de uma força de protecção marítima alargada que inclua países árabes para combater os ataques cada vez mais frequentes dos Houthi lançados a partir de portos iemenitas contra navios comerciais no Mar Vermelho.

O secretário da Defesa, Lloyd Austin, deve anunciar a força, provisoriamente chamada de Operação Sentinela da Prosperidade, quando visitar o Oriente Médio. Tal como acontece com a Força-Tarefa 153 já operando no Bahrein, a força de proteção maior foi projetada para fornecer garantias às companhias de navegação comercial de que os ataques Houthi serão interrompidos e que o mar permanecerá seguro para a navegação comercial.

Cinco grandes companhias marítimas impediram os seus navios de utilizar o Mar Vermelho após os ataques lançados pelos Houthis em protesto contra os esforços de Israel para eliminar o Hamas em Gaza.

O chefe da Autoridade do Canal de Suez, tenente-general Osama Rabie, revelou também que 55 navios foram redirecionados para contornar o Cabo da Boa Esperança, uma viagem duas semanas mais longa do que a que passa pelo estreito de Bab al-Mandab a sul do Canal de Suez. . Mais de 20 navios registaram acidentes nos últimos meses, muitos deles em torno do estreito Bab al-Mandeb, que separa a Península Arábica de África.

A OOCL, com sede em Hong Kong, foi a última a anunciar a suspensão dos seus voos, juntando-se à francesa CMA CGM, à dinamarquesa Maersk, à alemã Hapag-Lloyd e à ítalo-suíça Mediterranean Shipping Co., que é a maior empresa de navegação do mundo.

A Maersk controla 14,8% do mercado global de contentores marítimos e as decisões, se continuarem, representarão um golpe fatal para a economia egípcia e para os custos globais de transporte. O Canal de Suez rendeu ao Egito US$ 9,5 bilhões em 2022-2023.

READ  O governo equatoriano disse que o derramamento de óleo no Equador afetou a área protegida na Amazônia

Os Estados Unidos têm tentado persuadir a China a juntar-se a uma força de protecção marítima alargada baseada no Bahrein, mas algumas autoridades acreditam que conseguiram a participação da Jordânia, dos Emirados Árabes Unidos, da Arábia Saudita, do Qatar, de Omã, do Egipto e do Bahrein.

O primeiro navio abordado pelos Houthis apoiados pelo Irão, o Galaxy Leader, foi apreendido em 19 de Novembro e permanece no porto de Hodeidah, controlado pelos Houthi. Desde então os ataques aumentaram. O USS Carney abateu 14 drones enviados a Israel pelos Houthis na manhã de sábado.

Até agora, as marinhas francesa, britânica e norte-americana abateram drones e mísseis controlados pelos Houthi. Os Houthis disseram que teriam como alvo todos os navios com destino aos portos israelenses, independentemente da sua nacionalidade.

A Força-Tarefa Conjunta 153 liderada pelos EUA já operou no Mar Vermelho para combater a pirataria somali, bem como outras ameaças.

Numa visita a Israel, a ministra dos Negócios Estrangeiros francesa, Catherine Colonna, disse que os ataques Houthi “não podem ficar sem resposta”.

Tem havido preocupações de que a Arábia Saudita, que procura um acordo de paz com os Houthis para pôr fim à guerra civil de oito anos no Iémen, possa permanecer fora da força de protecção.

O ministro da Defesa iraniano, Mohammad Reza Ashtiani, disse que qualquer força-tarefa multinacional enfrentaria problemas incomuns ao tentar proteger a navegação no Mar Vermelho. “Se os Estados Unidos derem um passo tão irracional, enfrentarão problemas extraordinários”, disse ele. “Ninguém pode se mover em uma área que controlamos.”

O porta-voz militar iemenita disse: “Se os Estados Unidos conseguirem estabelecer uma coligação internacional, será a coligação mais suja da história”. O mundo não esqueceu a vergonha de permanecer calado sobre genocídios anteriores.

READ  A ex-primeira-ministra da Nova Zelândia Jacinda Ardern se casou com seu parceiro de longa data, Clarke Gifford

O líder do movimento Houthi, Abdul-Malik al-Houthi, também alertou que retaliaria se as linhas vermelhas fossem ultrapassadas, uma das quais era a intervenção direta dos EUA em Gaza.