Julho 23, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

O líder checheno Kadyrov encontra Putin após uma tempestade sobre espancamentos de prisioneiros

O líder checheno Kadyrov encontra Putin após uma tempestade sobre espancamentos de prisioneiros

28 de Setembro (Reuters) – O líder checheno Ramzan Kadyrov disse que discutiu a contribuição de sua região para o esforço de guerra da Rússia na Ucrânia durante conversas com o presidente Vladimir Putin na quinta-feira, que ocorreram em um momento delicado nas relações entre os dois lados.

Kadyrov tem ampla liberdade de Putin para governar implacavelmente a Chechênia como seu feudo pessoal, mas irritou até mesmo a linha dura pró-Kremlin esta semana quando elogiou seu filho de 15 anos por espancar um prisioneiro de etnia russa detido na Chechênia.

Kadyrov postou no Telegram que ele e Putin conversaram sobre uma série de tópicos, incluindo o papel dos combatentes chechenos na Ucrânia. Ele acrescentou ironicamente que “outras questões” foram levantadas e prometeu “mais sobre isso mais tarde”.

Não ficou claro se ele se referia ao espancamento ocorrido no mês passado, no qual seu filho, Adam, chutou e socou um prisioneiro chamado Nikita Juravil, acusado de queimar o Alcorão.

Kadyrov postou um vídeo do ataque na segunda-feira e disse estar orgulhoso de seu filho por defender sua fé muçulmana.

O alegado incidente com a queima do Alcorão não ocorreu na Chechénia, mas os investigadores russos disseram que transferiram Zhoravil para a custódia chechena porque os muçulmanos locais consideram-se vítimas do incidente.

Abbas Galliamov, ex-redator de discursos do Kremlin e hoje o mais duro crítico de Putin, disse esta semana que o espancamento abriu a porta para acusações de que Putin havia entregado um russo étnico “para ser comido pelos chechenos”. Até os comentadores pró-Kremlin descreveram o incidente como um escândalo.

Este mês espalharam-se rumores de que Kadyrov (46 anos) estava em estado grave de saúde no hospital, mas ele riu e flexionou os músculos quando um repórter da TV russa lhe perguntou sobre sua saúde.

Kadyrov considerou publicamente entregar o poder em determinado momento e destacou a importância dos seus três filhos adolescentes, o mais velho dos quais foi fotografado com Putin no Kremlin em março.

Garantir a estabilidade na Chechénia é crucial para Moscovo, que travou duas guerras brutais e dispendiosas desde o colapso da União Soviética para evitar a secessão.

Reportagem de Mark Trevelyan, edição de Alexandra Hudson

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Obtenção de direitos de licenciamentoabre uma nova aba