Abril 21, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

NATO dá luz verde à Ucrânia para cruzar a linha vermelha de Putin

NATO dá luz verde à Ucrânia para cruzar a linha vermelha de Putin

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que a Ucrânia tem o direito de usar armas fornecidas pelo Ocidente para se defender da Rússia, mesmo que isso inclua atingir alvos dentro das fronteiras da Rússia.

“Esta é a guerra de agressão da Rússia contra a Ucrânia e é uma violação flagrante do direito internacional”, disse Stoltenberg à Rádio Liberty durante uma entrevista na terça-feira.

“De acordo com o direito internacional, a Ucrânia tem o direito à autodefesa. Isto também inclui dirigir ataques contra alvos militares legítimos, ou seja, alvos militares russos fora da Ucrânia. Este é o direito internacional e, claro, a Ucrânia tem o direito de fazer isso para defender-se.” Em si.”

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, fala sexta-feira durante uma conferência de imprensa na 60ª Conferência de Segurança de Munique, em Munique, Alemanha. Stoltenberg disse esta semana que a Ucrânia tinha o direito de se defender contra a Rússia.


Thomas Kienzle/AFP via Getty Images

Um funcionário da OTAN confirmou Tempos Financeiros Na quinta-feira, Stoltenberg disse que o direito de Kiev à autodefesa inclui atacar alvos militares russos fora da Ucrânia.

O presidente russo, Vladimir Putin, alertou repetidamente contra o uso de equipamento fornecido pelo Ocidente pela Ucrânia para lançar ataques em território russo, dizendo que isso poderia levar a uma escalada do conflito. Estes avisos fizeram com que aliados como os Estados Unidos se abstivessem de fornecer a Kiev armas de longo alcance capazes de atingir a Rússia, mas os aliados da NATO forneceram desde então essas armas à Ucrânia.

Putin disse no mês passado que investigadores russos descobriram que um sistema de defesa aérea Patriot fabricado nos EUA foi usado para abater um avião de transporte militar Ilyushin 2-76 enquanto este estava em território russo. Washington forneceu a Kiev vários sistemas adicionais de armas terra-ar e de artilharia.

Autoridades em Moscou afirmaram que todos a bordo do II-76, que caiu na região de Belgorod em 24 de janeiro, morreram, incluindo 65 prisioneiros de guerra ucranianos. Kiev não aceitou a responsabilidade pelo incidente Semana de notícias Ele não conseguiu verificar as afirmações da Rússia.

Stoltenberg observou durante a sua entrevista à Rádio Liberdade que cabe a cada aliado da NATO decidir “por si próprio se tem alguma reserva sobre o que está a fornecer” à Ucrânia à luz das advertências de Putin, e disse que “diferentes aliados têm políticas ligeiramente diferentes”. nisto.”

Semana de notícias Entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores da Rússia para comentar o assunto na quinta-feira.

O Secretário-Geral da OTAN também falou sobre os esforços para entregar caças F-16 à Ucrânia, dizendo que era “impossível dizer exatamente” quando a aeronave estaria pronta para a batalha.

“Todos nós queremos que os F-16 cheguem lá o mais rápido possível”, disse Stoltenberg à Rádio Liberty. “Ao mesmo tempo, é claro, o impacto do F-16 será mais forte e melhor com pilotos mais treinados. E não apenas pilotos, mas também manutenção, pessoal e todos os sistemas de apoio que devem estar em funcionamento.”

Os F-16 foram fornecidos à Ucrânia por vários membros da NATO, e programas de treino em aeronaves modernas estão a ser realizados nos Estados Unidos, no Reino Unido, na Dinamarca e na Roménia.