Fevereiro 20, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Extrema direita europeia reúne-se em Portugal para mostrar apoio à Sega antes das eleições

Extrema direita europeia reúne-se em Portugal para mostrar apoio à Sega antes das eleições

Marine Le Pen, líder do partido francês Rally Nacional, participa de uma entrevista coletiva com o candidato presidencial de extrema direita de Portugal, André Ventura, em Lisboa, Portugal, em 8 de janeiro de 2021. REUTERS/Pedro Nunes/Foto de arquivo Obtenha direitos de licenciamento

LISBOA, 24 Nov – Ainda em clima de comemoração após a surpreendente vitória do populista holandês Geert Wilders, alguns dos líderes europeus de extrema-direita reuniram-se em Lisboa na sexta-feira para apoiar o seu Portugal antes das eleições antecipadas em março. .

André Ventura, chefe do partido de extrema direita Sega de Portugal, deu as boas-vindas aos membros da Aliança Europeia para a Identidade e a Democracia, incluindo a francesa Marine Le Pen e o co-presidente da Alternativa para a Alemanha, Dino Kruppalla.

A reunião ocorreu poucos dias depois de Wilders ter desafiado todas as previsões e obtido grandes vitórias na plataforma anti-imigração nas eleições holandesas. Mas as suas esperanças de construir uma aliança encontraram um obstáculo inicial.

“Em Portugal, tal como noutros países europeus, a esquerda atingiu o fim do seu ciclo… Áustria, Alemanha, França, em Portugal, a confiança em nós (a extrema direita) está a crescer”, disse Le Pen aos jornalistas. Em Lisboa.

O primeiro-ministro socialista português, António Costa, demitiu-se em 7 de novembro, no meio de uma investigação sobre o alegado tratamento ilegal por parte do seu governo de contratos de lítio, hidrogénio e centros de dados.

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa convocou eleições para 10 de março.

Fundada em 2019, a Sega surpreendeu o país ao obter 1,3% dos votos nas eleições daquele ano, conquistando o primeiro assento da extrema direita desde o fim da ditadura de Portugal em 1974.

Conseguiu então aumentar a sua participação para cerca de 7% nas eleições de 2022, emergindo como a terceira maior força parlamentar. Uma pesquisa divulgada pela Intercompus na sexta-feira mostrou que o apoio à Sega pode agora crescer para 13,5%.

READ  Luta portuguesa para proteger a isenção das touradas

As perspectivas de mais apoio da Sega preocupam grupos de direitos humanos, que dizem que ele incita o racismo e a xenofobia.

Ventura foi multado em 2020 por comentários discriminatórios contra o povo cigano e também criticou a comunidade negra. No auge do movimento Black Lives Matter, em 2020, ele organizou uma manifestação negando que o racismo fosse um problema.

“Estou feliz por tê-lo ao meu lado hoje”, escreveu Le Pen sobre Ventura em X.

A mesma sondagem intercampus mostrou o Partido Socialista (PS) de Costa, que elegerá um novo líder no próximo mês, com 23,6% dos votos e a oposição de centro-direita Social-Democratas (PSD) com 21,9%. Outras sondagens têm o PSD à frente.

De acordo com a sondagem de sexta-feira, o PSD precisaria do apoio da Sega para formar um governo, mas o líder do partido, Luis Montenegro, até agora descartou tal coligação.

“(A Sega) não ganhou as eleições, mas se houver uma maioria parlamentar de direita, (acredito) haverá a capacidade de criar uma alternativa”, disse Ventura.

Reportagem de Caterina Demoni, Miguel Pereira e Pedro Nunes Edição de Marguerita Choi

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.

Obtenha direitos de licenciamentoAbre uma nova aba

Repórter multimídia baseado em Portugal sobre política, economia, meio ambiente e notícias diárias. Com experiência anterior em jornalismo local no Reino Unido, foi cofundadora de um projeto que conta histórias de falantes de português que vivem em Londres e editou um site de notícias dirigido por jovens.