Julho 20, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Ele disse a Taiwan para “fazer as malas e partir” de Honduras depois de cortar relações

Ele disse a Taiwan para “fazer as malas e partir” de Honduras depois de cortar relações

TEGUCIAGALPA (Reuters) – Taiwan deve desocupar sua embaixada em Honduras em 30 dias, disse uma autoridade sênior de Honduras nesta segunda-feira, depois que o presidente Xiomara Castro cortou relações com Taiwan em favor da China em uma tentativa de obter mais investimentos e empregos da Ásia. gigante.

O vice-secretário de Estado, Antonio Garcia, fez o pedido na televisão local na segunda-feira, depois que o governo anunciou no fim de semana que havia aberto relações diplomáticas formais com Pequim e, ao mesmo tempo, encerrado seu relacionamento de décadas com Taiwan.

A principal oposição conservadora de Castro anunciou mais tarde que reverteria a abertura para a China se ela recuperasse o poder.

A China há muito argumenta que Taiwan, governada democraticamente, faz parte de seu território e não tem direito a relações de estado a estado, uma posição que Taipei rejeita veementemente. A China comunista exige que os países com os quais mantém relações adotem sua posição.

A Embaixada de Taipei no arborizado bairro de Palmira, em Tegucigalpa, foi durante anos uma das localizações ultramarinas mais proeminentes na capital da América Central, bem como a segunda maior do país depois da Embaixada dos Estados Unidos.

Em seu discurso, Garcia disse que 30 dias é “tempo mais do que suficiente para fazer as malas e partir”, acrescentando que as autoridades buscam uma saída “ordenada e amigável”.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Taiwan, Jeff Liu, disse que 30 dias é um “padrão internacional” e que comentariam mais tarde.

A mudança de Honduras ocorreu antes que o ex-presidente taiwanês Ma Ying-jeou iniciasse uma visita histórica à China, a primeira de um ex-presidente taiwanês ou no cargo desde que o governo derrotado da República da China fugiu para Taiwan em 1949, no final de uma guerra civil com a China. Comunistas.

A visita foi duramente criticada pelo Partido Democrático Progressista, governante de Taiwan.

O vice-ministro hondurenho também destacou a necessidade de enviar uma missão diplomática à China.

“Temos que ir lá para explorar os grandes projetos que a China pode nos oferecer”, disse ele, observando que a China poderia investir cerca de US$ 10 bilhões em Honduras como um benefício para os trabalhadores locais.

O Departamento de Estado também anunciou que estudantes hondurenhos que receberam bolsas de estudos em Taiwan poderão transferir seus estudos para a China.

Liu disse que as bolsas para estudantes hondurenhos vão até o final do semestre atual, após o qual eles receberão passagens só de ida para casa.

A mudança deixa Taiwan com apenas 13 aliados oficiais, a maioria deles pobres, nações em desenvolvimento na América Central, Caribe e Pacífico.

Em sua declaração na segunda-feira, o conservador Partido Nacional prometeu restaurar as relações com Taiwan se conseguir restaurar a presidência de Honduras em 2026.

“Faremos o impossível para restaurar as relações com nossos irmãos e irmãs na República de Taiwan”, disse ela, prometendo consagrar a lealdade a Taiwan na constituição do país.

(Reportagem de Gustavo Palencia) Reportagem adicional de Sarah Moreland e Ben Blanchard em Taipei. Edição por Stephen Eisenhammer, Josie Kao e Sandra Mahler

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.