dezembro 4, 2021

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

COP26: Como Portugal Leva à Prevenção de Desastres Climáticos – Glasgow, Reino Unido

Lançado em 01 de novembro de 2021.

Por Len Port

O sucesso ou fracasso da Cimeira do Clima COP26 depende em grande medida do acordo sobre a transição dos combustíveis fósseis para os renováveis, com Portugal a fazer progressos significativos no processo, enquanto os principais países poluentes ficam muito atrás.

A Broadcasting Corporation France 24 sediou uma conferência da ONU em Glasgow. Em conjunto com a conferência, produziu reportagens especiais que descrevem Portugal como um “estado da arte das tecnologias de energias renováveis”.

A França 24 ilustra que Portugal tem sido o país da UE mais bem sucedido na redução das emissões de gases com efeito de estufa desde 2005, utilizando turbinas eólicas parcialmente flutuantes e painéis solares ancorados no fundo do mar.

Os três aerogeradores filmados estão localizados a 20 quilômetros da costa, um dos quais com 190 metros de altura, o que o torna a turbina eólica mais alta do mundo. Hoje, 65% da eletricidade consumida em Portugal provém de fontes renováveis.

Uma análise da Agência Internacional de Energia (IEA) indica que Portugal é um dos primeiros países do mundo a definir metas de carbono neutro para 2050. As políticas energéticas e climáticas de Portugal estimulam principalmente a neutralização do carbono com a eletrificação generalizada da procura de energia e a rápida expansão da produção de eletricidade renovável e aumento da eficiência energética.

“Há um forte foco na redução da dependência da importação de energia e na manutenção de um acesso acessível à energia. Essas metas políticas são apoiadas por metas claras, estratégias nacionais abrangentes e regulamentações mais amplas, programas econômicos e medidas setoriais ”, afirma um estudo recente da IEA.

READ  Férias em Portugal: Quais são as regras de viagem mais recentes para turistas no Reino Unido? Conselhos FCDO | Notícias de viagens | Viajar por

O Director-Geral da IEA, Fatih Birol, referiu que “Portugal identificou bons objectivos ambiciosos e medidas de apoio competitivas para uma transição energética eficaz em termos de custos.”

Portugal ainda depende de combustíveis fósseis importados, com 43% de petróleo, 24% de gás natural e 6% de carvão em 2019.

Em resultado do aumento da atividade económica e da maior participação dos combustíveis fósseis no abastecimento energético, as emissões de gases com efeito de estufa em Portugal aumentaram 13% entre 2014 e 2018. Existem diferenças anuais significativas devido à disponibilidade sazonal da produção da grande marinha de Portugal. Barragens hidrelétricas.

Desde 2005, a alteração do uso do solo e a silvicultura reduziram, em média, as emissões anuais de gases com efeito de estufa em Portugal. No entanto, em 2017, incêndios florestais intensos causaram emissões significativas, e a IEA afirma que Portugal enfrenta um risco de incêndio florestal.

Um relatório da Administração de Comércio Internacional do Departamento de Comércio dos EUA mostra que Portugal tem estado cada vez mais focado no desenvolvimento de energias renováveis ​​nas últimas duas décadas e continua a ser um líder global na produção de energia renovável.

“O mecanismo motivacional bem estruturado e a adoção de metas ambiciosas têm contribuído para o crescimento do setor nos últimos dois anos”, afirma a associação comercial.

E continua: “O ambicioso plano nacional de energia e clima de Portugal para 2030 e o roteiro para a neutralidade de carbono até 2050 precisam de uma maior decorbonização do setor da energia, visando pelo menos 80% da geração de energia renovável.

“O governo está comprometido com uma política que apóia o crescimento do mercado e garante que as metas de decorbonização sejam atendidas da maneira mais econômica possível.”

READ  Itália pode enfrentar Portugal nas eliminatórias da Copa do Mundo

Há um forte foco nas conexões de eletricidade e gás natural para desbloquear o potencial de Portugal em recursos solares e eólicos e capacidade de gás natural liquefeito para apoiar o desenvolvimento econômico local e a segurança energética europeia.

Para ajudar a alcançar estes ambiciosos objetivos, a associação afirma ter anunciado o encerramento de duas termelétricas a carvão em Portugal. A central eléctrica a carvão da EDP na Ciência encerrou em Janeiro de 2021. A central Tejo Energia Pego deverá encerrar até ao final deste ano.

O país também desenvolveu uma estratégia de hidrogênio com o objetivo de reduzir as importações de gás natural e reduzir as emissões de gases de efeito estufa até 2030.

Açores e Madeira

Entretanto, a AIE salienta que os Açores e a Região Autónoma da Madeira têm definido as suas próprias políticas e estratégias energéticas e climáticas. As ilhas ainda dependem fortemente do petróleo para geração de energia. Com a introdução crescente de energias renováveis, a demanda por petróleo está diminuindo e algumas ilhas já alcançaram maiores participações na geração de eletricidade renovável usando uma variedade de tecnologias (geotérmica, eólica, hídrica, solar fotovoltaica e economia de energia).

Os Açores e a Madeira estão a testar diferentes abordagens para aumentar a quota de materiais renováveis, aumentar a utilização de veículos elétricos e melhorar a eficiência energética de edifícios residenciais e de serviços.

De acordo com a IEA, os projectos dos Açores e da Madeira que apoiam a mudança energética parecem ser mais ambiciosos do que Portugal continental, e estas zonas insulares poderiam ser pioneiras em laboratórios de vida para testar soluções inovadoras como armazenamento, fases inteligentes, mobilidade eléctrica e integração. Estoques muito altos de renováveis.

É claro que um país pequeno como Portugal pode abrir um precedente e contribuir para evitar o elevado risco de catástrofe climática. Solução na Cúpula COP26.

READ  Portugal: Custo do surto நிலை 4.7B nos primeiros 7 meses do ano

Postagem relacionada

COP26: Antonio Guterres sobe ao palco na Conferência das Nações Unidas em Glasgow

** Relate uma correção ou erro de digitação editor@portuguese-american-journal.com. Temos o compromisso de manter nossos padrões de jornalismo, incluindo precisão. Carolina Meadows / Autor.

——————

L.P.Len Port Jornalista e escritor. Nascido na Irlanda do Norte, seus primeiros trechos escritos foram publicados enquanto trabalhava no Museu de História Natural de Londres. Desde então, trabalhou como repórter principalmente em Hong Kong, Irlanda do Norte, África do Sul e Portugal. Além de relatar notícias difíceis para algumas das principais organizações de notícias do mundo, ele produziu vários artigos em destaque em todos os tipos de assuntos para várias publicações. Morando agora no sul de Portugal, seus livros incluem guias de viagem e histórias infantis. Seus eBooks – Pessoas em um só lugar E Evento de Fátima – Graça Divina, Ilusão ou Fraude Devocional? Disponível em amazon.com e amazon.co.uk. Confira as postagens do blog dele algarvenewswatch.blogspot.com