Dezembro 4, 2023

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Cientistas descobriram pela primeira vez que o esperma desafia uma das leis da física de Newton

Cientistas descobriram pela primeira vez que o esperma desafia uma das leis da física de Newton

Por Stacy Liberatore para Dailymail.com

20h35 26 de outubro de 2023, atualizado 22h30 26 de outubro de 2023

  • Os cientistas descobriram que as caudas dos espermatozoides se deformam para empurrar o agente através do fluido
  • A flexibilidade das caudas deve consumir mais energia e dificultar a movimentação
  • Leia mais: Cientistas compartilham mais evidências de que a poluição é prejudicial aos espermatozoides

Os cientistas dizem ter descoberto que a forma como os espermatozoides nadam desafia uma lei da física.

Pesquisadores da Universidade de Kyoto descobriram que o flagelo, ou cauda, ​​​​do espermatozoide empurra os agentes para frente, mudando sua forma para interagir com o fluido.

Os espermatozoides não provocam uma reação igual e oposta no ambiente circundante. Os especialistas dizem que este método de movimento desafia a lei do movimento de Newton, que afirma que existe uma reação igual e oposta.

A flexibilidade dos flagelos também sugere que não deveria haver nenhum movimento, mas sim o espermatozoide batendo a cauda sem liberar muita energia ao seu redor.

Pesquisadores da Universidade de Kyoto descobriram que o flagelo, ou cauda, ​​​​do espermatozoide impulsiona os agentes para frente, mudando sua forma para interagir com o fluido.

A equipe usou espermatozoides humanos e algas na pesquisa porque ambos possuem flagelos que os ajudam a se impulsionar através do fluido. novo Mundo Relatórios.

Leia mais: Especialistas alertam que as taxas de espermatozóides masculinos caíram pela metade desde a década de 1970

As cinturas salientes dos homens são responsabilizadas por esta tendência preocupante e pelos “produtos químicos onipresentes” no meio ambiente.

Essas caudas são flexíveis e podem deformar-se e retornar à sua forma original, o que não deveria ser capaz de empurrar os agentes nadadores através do fluido circundante que atua como obstáculo.

As algas e os espermatozoides foram analisados ​​ao microscópio, onde o pesquisador constatou que a dupla usava a cauda para se movimentar, fazendo Movimentos ondulatórios os empurram e puxam pelos arredores do líquido.

READ  Tendências epidemiológicas da dengue no território dos EUA, 2010-2020

No caso da lei do movimento de Newton, os movimentos devem eventualmente desacelerar o movimento dos nadadores.

Supõe-se que bater a cauda de um espermatozoide perde energia porque ele se deforma contra o ambiente circundante, mas, ao bater, os flagelos evitam uma reação igual e oposta que conserva energia.

Ao se curvarem em pequenos movimentos em resposta à aplicação do fluido, os flagelos conseguem evitar uma reação igual e oposta, conservando assim a energia de seu dono.

Os pesquisadores chamam essa capacidade de “resiliência individual”.

“Elasticidade singular não é um termo geral para atividade em sólidos, mas é um mecanismo físico bem definido que gera forças ativas em sólidos ou em outros sistemas onde a elasticidade generalizada pode ser definida sem usar um potencial elástico”, de acordo com um estudo publicado pela Universidade de Leiden, que não esteve envolvida na pesquisa.