Maio 21, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Alerta urgente para uma mulher de 23 anos que está paralisada por restos de sopa

Alerta urgente para uma mulher de 23 anos que está paralisada por restos de sopa

Uma jovem brasileira que trabalha no Colorado por meio de um programa de intercâmbio está paralisada e lutando pela vida no hospital após contrair uma bactéria rara.

Claudia de Albuquerque Celada, de 23 anos, deu entrada no hospital no dia 17 de fevereiro, sofrendo de paralisia, tontura, visão dupla e falta de ar, e foi diagnosticada com intoxicação alimentar duas semanas depois, disse um familiar ao jornal. Notícias diárias de Aspen.

A intoxicação alimentar é uma doença rara, mas grave, causada por uma substância tóxica que ataca os nervos do corpo.

Albuquerque Celada também usa um ventilador no Swedish Medical Center em Denver desde então.

As autoridades de saúde locais estão agora alertando os americanos para resfriarem e aquecerem adequadamente seus alimentos, depois que foi revelado que um trabalhador de intercâmbio ficou paralisado por uma bactéria mortal que se acredita ter vindo de sobras de sopa.

o Correio diário Os relatórios indicam que as autoridades de saúde locais atribuíram a doença da brasileira à sopa embalada que ela comprou enquanto trabalhava em Aspen, em fevereiro.

Amostras de sopa da mesma mercearia deram negativo, levando as autoridades a acreditar que o problema era a forma como a mulher de Albuquerque Celada a armazenava ou cozinhava.

Acredita-se que ela pode não ter armazenado a sopa em temperatura fria o suficiente, reaquecido bem ou refrigerado as sobras adequadamente após servir.

Um porta-voz do Departamento de Saúde do Condado de Pitkin disse que o incidente foi trágico e que serve como um lembrete para as pessoas reavaliarem suas práticas de manipulação de alimentos.

As autoridades recomendam que as pessoas refrigerem sopas e alimentos perecíveis a 4 graus ou mais, certifiquem-se de que os alimentos estejam aquecidos e evitem deixá-los fora por mais de uma hora.

Conta médica de $ 15.400 por dia

Sua irmã, Luisa Albuquerque, escreveu nas redes sociais que o hospital de Denver estava pagando seu voo de volta ao Brasil por meio de ambulância aérea.

“Acreditamos que a recuperação perto de familiares e amigos é muito mais rápida, comparando os custos de ficar aqui e voltar ao Brasil, voltar ainda é mais barato”, disse a irmã.

O colega da família acrescentou que cada dia passado no hospital custa cerca de AU$ 15.400.

“Seu seguro de viagem expirou há muito tempo e suas contas hospitalares estão aumentando.”

Sra. Albuquerque Celada trabalha em Aspen em programa de intercâmbio desde novembro.

Sua irmã disse que começou a se sentir mal e teve que sair mais cedo do trabalho em um dia de fevereiro. “Ela tomou banho, jantou e foi para a cama, mas estava com falta de ar, visão turva e tontura”, disse ela ao canal português UOL.

Ela enviou cartas aos amigos sobre a doença e, quando eles chegaram na manhã seguinte, seu estado havia piorado visivelmente.

“Quando eles chegaram, o estado da minha irmã era muito pior, ela mal conseguia respirar sozinha e tinha paralisia facial. Alguns outros músculos estavam muito fracos, braços fracos, pernas fracas. Ela foi para o hospital e logo depois ela estava 100 por cento. paralisada”, disse sua irmã em português.

A família dela disse não saber onde ela foi infectada, mas acredita que foi transmitida através dos alimentos.

Um familiar escreveu nas redes sociais, segundo o jornal: “A intoxicação alimentar foi identificada apenas 15 dias após o aparecimento dos sintomas, mas não se sabe quais alimentos estavam contaminados com bactérias”.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças definem a intoxicação alimentar como “uma doença rara, mas grave, causada por uma substância tóxica que ataca os nervos do corpo”.

Os sintomas geralmente começam nos olhos, rosto, boca e garganta antes de se espalharem para outras partes do corpo.

Também pode enfraquecer os músculos envolvidos na respiração, o que pode causar dificuldade para respirar ou até morte.

Autoridades do condado de Pitkin disseram mais tarde ao jornal que se acreditava que o caso era isolado e que não havia perigo para o público.

Antes de o hospital de Denver anunciar que pagaria seu transporte, a família de Albuquerque Celada arrecadou A$ 308 mil para pagar a ambulância aérea.

Uma campanha de arrecadação de fundos criada por sua família agora busca pagar os A$ 770.000 que ela contraiu em dívidas hospitalares.

-Com o New York Post