Fevereiro 20, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

A missão Parker da NASA está se preparando para um pouso solar em 2024

A missão Parker da NASA está se preparando para um pouso solar em 2024

Desde o seu lançamento em 2018, a Parker Solar Probe da NASA tem-se aproximado do Sol a cada ano que passa, lançando luz sobre os principais processos solares. No final de 2024, terá estabelecido um novo recorde ao atingir a nossa estrela a uma distância de pouco mais de 6 milhões de quilómetros, mergulhando profundamente nas suas camadas exteriores escaldantes.

Emitida em:

2 minutos

Uma das missões mais ousadas da história da exploração espacial, a Parker Solar Probe é a primeira nave espacial a voar através da atmosfera exterior do Sol, conhecida pelos cientistas como coroa. Está programado para abrir novos horizontes no final de dezembro, cobrindo 96% da distância que separa o nosso planeta da sua estrela ígnea.

Ao fazê-lo, o Parker atingirá velocidades de cerca de 700.000 quilómetros por hora (ou 435.000 milhas por hora), o suficiente para viajar de Nova Iorque a Tóquio num minuto – tornando-o no veículo mais rápido fabricado pelo homem na história. Alcançará esta velocidade oscilando em torno de Vénus, usando a gravidade do planeta para estreitar a sua órbita em torno do Sol e ganhar velocidade adicional.


“Esta será uma conquista tremenda para toda a humanidade. Isto equivale ao pouso na Lua em 1969”, disse o Dr. Nour Rawafi, cientista do projeto Parker da Universidade Johns Hopkins, em entrevista coletiva. Entrevista com a BBC. “Estamos basicamente prestes a pousar em uma estrela.”

no forno

A missão de Parker é fazer repetidas passagens em torno do Sol, aproximando-se da estrela à medida que esta viaja através da sua atmosfera exterior, que, paradoxalmente, é 300 vezes mais quente do que a sua superfície real. Isto significa enfrentar condições inimagináveis, incluindo temperaturas que se aproximam dos 1.400 graus Celsius e ventos solares carregados com partículas de alta energia.

READ  Juno da NASA comemora 10 anos com um novo display infravermelho do Jovian Mammoth Moon Ganimedes

O truque de Parker é mergulhar rapidamente neste inferno, contando com sua velocidade superior e seu espesso escudo térmico composto de carbono. O escudo protege uma série de instrumentos que medem partículas carregadas e flutuações magnéticas e capturam imagens e sons.

Em 2020, gravações feitas perto da estrela forneceram os primeiros clipes de áudio do vento solar – um fluxo de partículas de alta energia que flui continuamente do Sol.


Previsão de tempestades solares

O objetivo da missão é obter uma melhor compreensão da atividade solar e esclarecer muitos dos mistérios que rodeiam o coronavírus, já que as temperaturas podem atingir um milhão de graus Celsius ou mais – em comparação com apenas 6.000 graus Celsius na superfície do Sol. Os cientistas esperam que os dados recolhidos por Parker ajudem a compreender porque é que a atmosfera exterior do Sol é mais quente do que a sua superfície.

A coroa também é onde o vento solar é gerado, que às vezes se transforma em “explosões” e “tempestades” solares, que podem perturbar o campo magnético do nosso planeta, degradar as comunicações e representar riscos à saúde dos astronautas. Em última análise, as descobertas de Parker poderão abrir caminho para um serviço meteorológico espacial capaz de prever e rastrear tais eventos.

Uma imagem do Sol tirada a meio caminho do nosso planeta pelo Solar Orbiter da Agência Espacial Europeia em 16 de julho de 2020. © ESA/EUI/NASA via AFP

O voo de final de ano da sonda representará a sua melhor oportunidade para obter uma maior compreensão dos principais processos solares. Será também o seu último encontro: depois de Dezembro, a órbita da sonda já não lhe permitirá girar em torno de Vénus, impedindo-a de se aproximar demasiado do Sol.

READ  A tripulação do astronauta retorna para casa após uma estadia de cinco meses na Estação Espacial Internacional

Este artigo foi traduzido do original em francês.