Maio 23, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Os surtos de crescimento puberal estão ligados a riscos para a saúde dos adultos

Os surtos de crescimento puberal estão ligados a riscos para a saúde dos adultos

resumo: Os pesquisadores revelaram uma ligação genética entre o rápido crescimento em altura durante a puberdade e o aumento dos riscos à saúde na idade adulta, como fibrilação atrial, diabetes tipo 2 e câncer de pulmão. O estudo analisou padrões de crescimento utilizando dados de 56 mil indivíduos e identificou 26 genes que afetam a dinâmica de crescimento durante a puberdade.

Estas descobertas revelam como factores genéticos específicos associados ao desenvolvimento puberal podem ter efeitos a longo prazo na saúde, sublinhando a importância de abordagens médicas personalizadas baseadas em perfis genéticos. A pesquisa fornece informações importantes sobre como o desenvolvimento na primeira infância influencia o gerenciamento de risco de várias doenças em adultos.

Principais fatos:

  1. Fatores genéticos identificados: Os pesquisadores identificaram 26 genes associados ao tamanho, momento e intensidade dos surtos de crescimento puberal.
  2. Efeitos na saúde: Ser alto no início da idade adulta e ter um crescimento rápido está associado a um risco maior de muitos problemas de saúde em adultos, incluindo fibrilação atrial, diabetes tipo 2 e câncer de pulmão.
  3. Análise extensa: O estudo utilizou dados em grande escala de indivíduos de diversas origens para analisar padrões de crescimento puberal e seus efeitos na saúde a longo prazo.

fonte: Universidade de Surrey

A ligação genética entre o crescimento em altura durante a puberdade e a saúde a longo prazo na idade adulta foi identificada por um novo estudo da Universidade de Surrey e da Universidade da Pensilvânia publicado em 2018. Biologia do genoma.

Os pesquisadores descobriram que ser mais alto no início da idade adulta e o rápido crescimento em altura durante esse período estão associados a um risco aumentado de desenvolver fibrilação atrial mais tarde na vida.

A equipe de pesquisa investigou se a genética desempenhava um papel nos padrões de crescimento puberal e nas condições de saúde ao longo da vida. O crescimento durante este período pode ser genético, mas os factores genéticos específicos subjacentes às trajectórias de crescimento permanecem em grande parte desconhecidos.

Eles também descobriram que indivíduos com um ritmo mais rápido de crescimento puberal tinham níveis mais elevados de densidade mineral óssea, níveis mais elevados de resistência à insulina e um risco aumentado de diabetes tipo 2 e câncer de pulmão. Crédito: Notícias de Neurociências

Para colmatar esta lacuna de conhecimento, os investigadores utilizaram a análise da curva de crescimento de 56.000 pessoas de diversas origens ancestrais, contendo as suas medidas de altura desde os cinco anos até à idade adulta. Esses dados deram aos pesquisadores uma visão abrangente dos padrões de crescimento em diferentes populações e em diferentes períodos de tempo.

“Nosso estudo ressalta a importância das análises genéticas em grande escala para desvendar as complexidades da saúde humana”, disse a Dra. Zhanna Balkhiyarova, coautora do estudo e pesquisadora de pós-doutorado da Universidade de Surrey.

“Usando big data, estamos revelando novos insights sobre os fatores genéticos que influenciam o crescimento durante a idade adulta e seus efeitos a longo prazo. Com cada descoberta, aproximamo-nos de uma medicina que atenda às necessidades únicas de cada indivíduo.”

Os pesquisadores identificaram 26 genes associados a vários aspectos do desenvolvimento puberal, incluindo o tamanho, o momento e a gravidade do surto de crescimento. A fim de investigar mais detalhadamente o impacto ao longo da vida das variantes genéticas associadas às trajetórias de desenvolvimento puberal, os investigadores também analisaram a associação genética e fenotípica (características observáveis ​​de um indivíduo) em dados do Penn Medicine Biobank e do UK Biobank.

Utilizando estes dados, a equipa descobriu, pela primeira vez, relações genéticas entre o crescimento em altura das crianças e uma vasta gama de resultados de saúde ao longo da vida de uma pessoa.

Ser mais alto no início da idade adulta e crescer mais rápido na idade adulta tem sido associado a um risco aumentado de desenvolver fibrilação atrial, uma frequência cardíaca irregular e anormalmente rápida, mais tarde na vida.

Eles também descobriram que indivíduos com um ritmo mais rápido de crescimento puberal tinham níveis mais elevados de densidade mineral óssea, níveis mais elevados de resistência à insulina e um risco aumentado de diabetes tipo 2 e câncer de pulmão.

Anna Ulrich, anteriormente na Universidade de Surrey, disse: “Nossas descobertas desafiam a ideia de um padrão de crescimento ideal que funcione para todos. Em vez disso, elas enfatizam a complexa interação entre genética e saúde e destacam a importância de um crescimento personalizado. abordagem à gestão da saúde.”

A principal autora do estudo, Professora Inga Prokopenko, Professora de e-One Health e Chefe de Poliestatística da Universidade de Surrey, disse: “Este estudo representa um grande passo em frente na compreensão da base genética do desenvolvimento puberal e seu impacto a longo prazo”. -Revelando implicações para a saúde ao longo da vida.

“À medida que desvendamos os segredos codificados no nosso ADN, aproximamo-nos de um futuro onde intervenções adaptadas com base em características genéticas individuais revolucionarão os cuidados de saúde.”

Sobre notícias de pesquisa em genética e neurodesenvolvimento

autor: Zhanna Balkhayarova
fonte: Universidade de Surrey
comunicação: Zhanna Balkhiyarova – Universidade de Surrey
foto: Imagem creditada ao Neuroscience News

Pesquisa original: Acesso livre.
Estudo de associação de todo o genoma entre avós sobre desenvolvimento longitudinal da altura puberal e co-herança com resultados de saúde em adultos“Por Jonathan B. Bradfield et al. Biologia do genoma


um resumo

Estudo de associação de todo o genoma entre avós sobre desenvolvimento longitudinal da altura puberal e co-herança com resultados de saúde em adultos

fundo

Os padrões de crescimento puberal estão ligados a resultados futuros de saúde. No entanto, os mecanismos genéticos que medeiam as vias de desenvolvimento permanecem em grande parte desconhecidos. Aqui, modelamos o crescimento longitudinal da altura analisando uma curva de crescimento sobreposto por translação e rotação (SITAR) em aproximadamente 56.000 amostras de toda a raça com medidas repetidas de altura desde os 5 anos de idade até a idade adulta.

Realizamos análises genéticas em seis fenótipos que representam a magnitude, o momento e a gravidade do surto de crescimento puberal. Para investigar o impacto ao longo da vida de variantes genéticas associadas às trajetórias de desenvolvimento puberal, realizamos análises de associação genética e estudos de associação em nível de fenômeno no Penn Medicine BioBank e no UK Biobank.

resultados

Modelos de desenvolvimento em larga escala fornecem uma visão sem precedentes sobre o desenvolvimento dos adolescentes nas populações infantis contemporâneas e do século XX. Identificamos 26 loci significativos em todo o genoma e estamos aproveitando dados de cepas transitórias para realizar um mapeamento preciso. Nossos dados revelam relações genéticas entre o crescimento em altura e a saúde das crianças ao longo da vida, com diferentes trajetórias de desenvolvimento associadas a diferentes resultados.

Por exemplo, um ritmo mais rápido de crescimento puberal está associado a maior densidade mineral óssea, HOMA-IR, insulina de jejum, diabetes tipo 2 e câncer de pulmão, enquanto ser mais alto no início da puberdade, mais alto durante a puberdade e crescimento puberal mais rápido foi associado a um risco aumentado de fibrilação atrial.

Conclusão

Relatamos novas associações genéticas com o ritmo do crescimento puberal e descobrimos que os determinantes genéticos do crescimento estão associados a características reprodutivas, glicêmicas, respiratórias e cardíacas na idade adulta. Estas descobertas ajudam a identificar trajetórias de desenvolvimento específicas que influenciam a saúde ao longo da vida e mostram que pode não haver um único padrão de crescimento “ideal” na idade adulta.