Julho 12, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Um homem da Flórida tem seus intestinos removidos de seu corpo em um restaurante

Um homem da Flórida tem seus intestinos removidos de seu corpo em um restaurante

Um homem da Flórida que estava jantando em um restaurante com sua esposa recentemente espirrou com tanta força que partes de seus intestinos foram forçadas a sair de seu corpo através de uma ferida cirúrgica, disseram os pesquisadores.

O caso foi publicado em Edição de maio de 2024 Seguidor Jornal Americano de Relatórios de Casos MédicosO homem não identificado tem 63 anos e histórico de câncer de próstata.

Durante o tratamento de uma recorrência de câncer, ele enfrentou diversas complicações de saúde, e o homem foi submetido a uma cistectomia, operação para retirada da bexiga urinária, 15 dias antes do incidente do jantar, que resultou na recuperação de uma ferida cirúrgica no abdômen.

Na manhã do espirro, os médicos do homem relataram que ele estava se recuperando bem e poderia remover os grampos que seguravam o ferimento.

Ele e a esposa saíram para tomar café no restaurante para comemorar.

“Durante o café da manhã, o homem espirrou com força e depois tossiu. Ele imediatamente notou uma sensação de ‘molhado’ e dor na parte inferior do abdômen. Olhando para baixo, ele observou vários anéis de intestino rosa saindo do local de sua recente cirurgia”, escreveram os pesquisadores. .

O homem ficou atordoado, cobriu o inchaço com a camisa e pensou em ir de carro até o hospital, mas temeu que a mudança de posição agravasse o ferimento e chamou uma ambulância.

Os paramédicos que chegaram cobriram o ferimento com um curativo, deram analgésicos ao homem e o levaram a um hospital próximo.

Lá, as medições mostraram que seus sinais vitais estavam dentro dos limites normais.

O estudo da tala continua: “Três cirurgiões urológicos devolveram cuidadosamente o intestino eviscerado à cavidade abdominal. Eles examinaram toda a extensão do intestino delgado e não observaram nenhuma evidência de lesão”.

A revista destaca que esse tema é importante porque preenche lacunas na literatura sobre dissociação, ou seja, explosão de feridas.

O artigo conclui: “Embora a deiscência da ferida seja uma complicação bem conhecida, esta condição é importante porque a evisceração através do sítio cirúrgico abdominal após cistectomia não foi bem descrita na literatura médica”.