Abril 21, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

UConn tem todas as respostas contra o San Diego State em uma derrota no Sweet 16

UConn tem todas as respostas contra o San Diego State em uma derrota no Sweet 16

BOSTON – O jogo mal havia começado, quando Jaedon LeDee deu um belo salto para dar ao San Diego State uma vantagem de 2 a 0 sobre Connecticut, no momento em que todos estavam se acomodando em seus assentos no TD Garden na noite de quinta-feira. Mas o que aconteceu a seguir foi uma daquelas jogadas anteriormente que, olhando para trás, nos disse exatamente para onde esse jogo do Sweet 16 estava indo.

Lá se foi o grande homem de Connecticut, Donovan Clingan, rugindo e indo até a cesta, contornando os astecas, passando pelos astecas, até colocar a bola na rede para empatar o jogo. Apenas uma cesta, é isso. Apenas 46 segundos se passaram desde o início da partida. No entanto, ele disse muito.

Veja, não foi o toque de pontuação de Cligan que levou Connecticut a uma vitória fácil por 82-52 sobre San Diego State nas semifinais da Região Leste, enviando os atuais campeões nacionais para um confronto da Elite Oito no sábado contra Illinois. Sua cesta de abertura foi um lembrete de que, embora este time tenha um talento tremendo – falaremos mais sobre isso em um momento – também é um time com um talento tremendo. Só no primeiro tempo, quando os astecas se aproximavam graças aos 15 pontos de LeDee, UConn conseguiu 12 rebotes ofensivos contra apenas cinco do San Diego State. No final da noite, a enorme vantagem nos rebotes ofensivos aumentou para 21-12, resultando em 12 pontos de segunda chance para os Huskies.

A mensagem aqui, junto com todo o talento da UConn – e sim, mais uma vez, Chegaremos a isso em um momento – é que você não pode vencer os Huskies se não conseguir tirar a bola deles.

Os Huskies acabaram com a antiga prática de apenas ganhar jogos. Eles seguiram o caminho da bola de demolição ultimamente, vencendo jogos por 39 (sobre Stetson), 17 (Northwestern) e San Diego State (30).

O que está acontecendo aqui, você pergunta? Fácil: “Somos ruins em vencer jogos disputados”, explicou o técnico da UConn, Dan Hurley. “Então você tem que escolher a alternativa.”

Ah, aqui estamos. Huskies são bons e querem que você saiba que eles são bons. Não, os Huskies são ótimo E eles querem que você saiba que eles são incríveis. Está praticamente estampado em suas testas. Não como uma ostentação, embora isso seja o que é por definição, mas como um exercício de apresentação cuidadosa de factos e números para deixar claro um ponto de vista.

Considerando como foi o jogo, Hurley observou que Clingan “fez funcionar” e que quatro jogadores marcaram dois dígitos: Hassan Diarra (10), Stephon Castle (16), Tristen Newton (17) e Cam Spencer, o distribuidor de três pontos (18). Ele observou que Alex Karaban, que cresceu na área de Boston, entrou no Garden e marcou todos os oito pontos nos primeiros cinco minutos do jogo.

“Basicamente, o equilíbrio é ter quatro caras com dois dígitos e mais dois com oito”, Hurley começou a dizer, e então parou por um momento antes de acrescentar: “Temos muitas respostas”.

Bingo. Ah, claro que os Huskies têm química, trabalho em equipe, energia, perseverança, comprometimento, amor fraternal… a lista é infinita… mas Hurley pode jogar tudo em uma tigela e transformar nisso: Respostas. Eles têm respostas. E eles têm respostas porque, de cima a baixo, são o melhor programa de basquete universitário da América. E desde o comentário de Hurley há alguns dias sobre sua equipe ser “à prova de balas” até este último comentário sobre sua equipe ter “respostas”, fica claro que tudo isso foi intencional.

aprofundar

Vá mais fundo

Dan Hurley e sua equipe “à prova de balas” estão excessivamente confiantes? “Isso é o que somos”

Bem, até mesmo o caminho da UConn para a Final Four – rodada de abertura dos jogos no Barclays Center para esta visita ao TD Garden – é algo que Hurley quer que você saiba. ocorridonão foi entregue em uma sala cheia de fumaça, acomodando o pessoal da NCAA que achou que seria legal se os fãs dos Huskies pudessem fazer viagens divertidas ao Brooklyn e Boston.

Hurley levantou este ponto durante sua sessão de mídia na quarta-feira. Ele fez isso de novo na noite de quinta-feira, depois de um passeio pelo estado de San Diego. “Tivemos que vencer muitos jogos para fazer isso”, disse Hurley, como se houvesse um debate nacional sobre a vitória dos Huskies naqueles jogos no Brooklyn e em Boston.

Uma pessoa que gosta particularmente do lado de Boston é Karapan, que cresceu nas proximidades de Southboro, cerca de 48 quilômetros a oeste de Boston. Mas ele deixou claro que não há um pingo de estresse em nada disso – nem por tentar ganhar o segundo campeonato nacional consecutivo, nem por jogar em um prédio funcional em seu quintal.

“Não, nunca é estressante”, disse ele.

Onde é que isso veio?

“É realmente o treinamento”, disse Karapan. Ele continuou apontando que os Huskies estavam no “maior palco no ano passado” e que a equipe deste ano “tem veteranos que continuam a liderar”, mas sua reação instintiva foi apontar Hurley.

Se for arrogância, então é arrogância sem malícia. Na verdade, Hurley abriu sua sessão de mídia pós-jogo na quinta-feira, colocando pétalas de rosa verbais sobre o técnico do San Diego State, Brian Dutcher, e seu programa. “Conhecemos a cultura do estado de San Diego e como eles estavam juntos”, disse Karaban.

Pode-se dizer que se exibir exige que você dance no logotipo do outro time. Não é isso que está acontecendo aqui. Seu Husky só quer que você entenda o que ele faz. Eles mostram isso, e sim, claro, eles dizem isso.

(Foto de Donovan Clingan bloqueando um chute de Lamont Butler, do estado de San Diego: Michael Reeves/Getty Images)