Maio 18, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Trump diz que Israel, perdendo a guerra de relações públicas em Gaza, deve acabar com a guerra 'rapidamente' |  Notícias da guerra israelense em Gaza

Trump diz que Israel, perdendo a guerra de relações públicas em Gaza, deve acabar com a guerra 'rapidamente' | Notícias da guerra israelense em Gaza

O ex-presidente dos EUA critica Israel por publicar os vídeos “mais feios” de ataques aéreos em Gaza.

O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, alertou que Israel está “perdendo a guerra de relações públicas” em Gaza devido à torrente de imagens angustiantes vindas da Faixa.

em Entrevista Trump, junto com o apresentador de rádio conservador Hugh Hewitt, criticou na quinta-feira Israel por divulgar os vídeos “mais feios” e “mais feios” de edifícios destruídos em ataques aéreos israelenses em Gaza.

“E as pessoas imaginam que há muitas pessoas nesses edifícios… e elas não gostam disso, e não sei por que, você sabe, atirariam assim em tempo de guerra”, disse Trump.

“Acho que isso os faz parecer fortes. Mas para mim, não os faz parecer fortes. Eles estão perdendo a guerra de relações públicas. Eles estão perdendo muito. Mas eles precisam terminar o que começaram, e eles temos que terminar isso rapidamente e temos que seguir com a vida.”

Questionado se ainda estava “100 por cento” com Israel, Trump não respondeu diretamente, mas disse que Israel deve acabar com a guerra “rapidamente” e “regressar à vida normal”.

“E não tenho certeza se gosto da maneira como eles fazem isso, porque é preciso ter a vitória. É preciso alcançar a vitória, e isso leva muito tempo.”

Trump descreveu-se como o presidente mais pró-Israel na história dos Estados Unidos, referindo-se à sua decisão de transferir a embaixada americana para Jerusalém.

Mas Trump também criticou fortemente o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, que irritou os republicanos quando reconheceu que o presidente dos EUA, Joe Biden, foi validamente eleito em 2020.

Numa entrevista ao jornal israelita Israel Hayom no mês passado, Trump emitiu um aviso semelhante sobre a perda de apoio internacional de Israel à medida que o conflito continua.

Trump também criticou a política de Biden na guerra de Gaza, alegando mesmo que os judeus que votam nos democratas “odiam Israel”, embora não tenha explicado concretamente como abordaria o conflito de forma diferente.

A Casa Branca disse na quinta-feira que Biden alertou Netanyahu num telefonema que o apoio contínuo dos EUA à guerra dependeria de “medidas específicas, concretas e mensuráveis” para proteger os civis.

O alerta de Biden, o mais forte até agora para o fiel aliado dos EUA, veio depois que os militares israelenses mataram sete trabalhadores humanitários que trabalhavam para a instituição de caridade World Central Kitchen, com sede nos EUA, incluindo um cidadão norte-americano-canadense.