agosto 19, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Primeiro-ministro da Moldávia diz que Rússia está 'extremamente preocupada' com possível invasão russa da Ucrânia

Primeiro-ministro da Moldávia diz que Rússia está ‘extremamente preocupada’ com possível invasão russa da Ucrânia

Suspensão

A Moldávia está “profundamente preocupada” com uma possível invasão russa, enquanto as forças russas se preparam para intensificar os ataques no leste e sul da Ucrânia, perto da fronteira com o pequeno país de 2,5 milhões de pessoas.

A primeira-ministra da Moldávia, Natalia Gavrilita, disse que a possibilidade de seu país ser o próximo país a ser invadido por ordem do presidente russo, Vladimir Putin, “é um cenário hipotético no momento”.

“Mas se as operações militares avançarem na parte sudoeste da Ucrânia e em direção a Odessa, é claro que estamos muito preocupados”, disse ela em entrevista no domingo à CNN.

O que é a Transnístria e a Rússia avançará em direção à Moldávia?

A Moldávia, que permanece militarmente neutra, se separou da União Soviética e conquistou a independência em 1991. Condenou publicamente a invasão da Ucrânia por Putin e centenas de milhares de refugiados. fugiu para lá Através da fronteira.

“Tivemos que lidar muito rapidamente com o fluxo maciço de refugiados”, disse Gavrilita, acrescentando que a pesquisa recente mostrou que a grande maioria da população da Moldávia estava pronta para receber mais deslocados.

A Rússia controla o fornecimento de energia da Moldávia, considerada uma das mais pobres do mundo, e o país há muito expressa preocupação com o próximo passo da Rússia no conflito. A guerra vizinha de Putin representa o maior desafio direto para a Moldávia até o momento, como o Washington Post mencionado no início deste ano.

Gavrilita disse que a Moldávia depois da Ucrânia é a mais atingida economicamente desde a invasão russa, citando a alta inflação.

A Moldávia recebeu o status de candidato à UE junto com a Ucrânia no mês passado.

Ambos os países terão que passar longo processo Eles se tornam membros e devem atender a determinados critérios.

READ  Exclusiva UE encontrou evidências de que telefones de funcionários foram hackeados com mensagem de espionagem

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, disse que a medida para conceder o status de candidato reforçou a Ucrânia e a Moldávia “diante da agressão russa” do lado da União Europeia e enviou um forte sinal a Putin.

Líderes da UE fazem da Ucrânia e da Moldávia candidatos à adesão

Em abril, um comandante militar russo sugeriu que Moscou tentasse criar um corredor através do sul da Ucrânia até a Transnístria, Uma república separatista no leste da Moldávia. Após essas declarações, a Moldávia convocou o embaixador russo para expressar “profunda preocupação”.

Gavrilita expressou preocupação no domingo de que as forças russas estivessem “no território da região separatista da Transnístria” e alertou que outros países deveriam se preocupar com as ambições de Putin.

“Se um país pode iniciar uma guerra de anexação sem qualquer respeito pelo direito internacional, então, nesse sentido, ninguém está seguro”, disse o primeiro-ministro, que assumiu o cargo em agosto do ano passado. “Acho que muitos países estão preocupados.”

Gavrilita acrescentou que a Moldávia está fazendo “tudo o que pode para manter a paz e a estabilidade e para garantir que os combates não aumentem”.