Outubro 4, 2023

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Presidente português manifesta apoio à Polónia na região leste – EURACTIV.com

Presidente português manifesta apoio à Polónia na região leste – EURACTIV.com

O Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, disse que as preocupações da Polónia sobre as medidas para questionar a UE e o flanco oriental da NATO devem ser abordadas.

Rebelo de Souza deixou uma palavra especial para “o papel da Polónia na situação na Ucrânia”. Conferência de imprensa conjunta Com o presidente polonês Andrzej Duda.

“Estamos unidos, demonstramos solidariedade sem hesitações, por isso notei as preocupações polacas sobre a necessidade de estar alerta aos movimentos que questionam as fronteiras orientais da União Europeia e da NATO. Estamos a agir com cuidado e apoio”, enfatizou.

Segundo Rebelo de Sousa, “o desafio colocado por este conflito, que não é simplesmente um conflito europeu, mas global, é um desafio difícil mas essencial”.

“Ignorá-lo ou não ser capaz de enfrentá-lo da melhor maneira possível é um erro histórico, e nenhum dos nossos povos, nações ou estados cometeu esse erro. Isto explica porque existe uma unidade praticamente completa nesta questão em Portugal, ” ele argumentou.

Na análise do chefe de Estado, Portugal, seguido da Polónia, “a opinião pública é clara sobre a posição que o governo português irá adotar na situação ucraniana”, o que “criou uma integração nacional, sensibilidade aos princípios em jogo” ”.

Rebelo de Sousa destacou que a “posição polaca sobre a invasão da Ucrânia pela Federação Russa” “foi sempre estável” do ponto de vista político, diplomático, militar, humanitário ou financeiro.

“Como a Ucrânia e os nossos outros aliados sabem, a posição portuguesa é exactamente a mesma. Não podemos aceitar a violação dos princípios fundamentais da comunidade internacional, do direito internacional, da Carta das Nações Unidas, razão pela qual o povo ucraniano tem o direito de restaurar sua integridade territorial. Exercer sua soberania como país independente”, disse ele.

READ  Johnson lidera o Cronhome após a corrida de sábado

Deve fazê-lo com a solidariedade de todos aqueles que reconhecem estes princípios e não aceitam a contínua violação dos valores que deveriam unir a comunidade internacional”, afirmou.

Segundo o presidente, devemos estar atentos às “formas diretas e indiretas de fazer a guerra”.

“A guerra hoje é travada de muitas maneiras. Estamos bem cientes do que está a acontecer noutros continentes (…) as forças nacionais estão estacionadas noutros continentes e sabemos como as intervenções desestabilizadoras começaram indirectamente e depois tornaram-se directas”, disse ele.

Em 10 de agosto, foi anunciado que a Polónia aumentaria a sua presença militar na fronteira com a Bielorrússia, aliada da Rússia, para cerca de 10.000 soldados como forma de dissuasão.

(Jona Felice | Lusa.pt)

Leia mais com EURACTIV