Julho 16, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Portugal perde mais de um milhão de crianças

Portugal perde mais de um milhão de crianças

Portata, um banco de dados estatístico Fundação Francisco Manuel dos SantosA Universal decidiu marcar o Dia dos Direitos da Criança com uma série de conjuntos de informações para ajudar a criar um perfil demográfico dos jovens.

Desde o início verifica-se que “nos últimos 50 anos, Portugal perdeu mais de um milhão de crianças e jovens”, o que representa hoje 12,8% da população total.

Segundo Portata, e com base em dados do Office for National Statistics (INEm 2022, viviam em Portugal 1,3 milhões de crianças e jovens até aos 15 anos, dos quais 51% eram do sexo masculino e 49% do sexo feminino.

“O número de crianças e jovens caiu quase para metade (-46%) em 50 anos: até ao início da década de 1980, as crianças e jovens eram pelo menos um quarto da população e, em 2022, serão 12,8%. de crianças entre 5 e 9 anos (-50%) Diante disso, a diminuição foi registrada em todas as faixas etárias”, afirma Portata.

Isto faz de Portugal “o segundo país da UE com a menor proporção de crianças e jovens na sua população”, depois da Itália, que lidera a tabela.

“Segundo as projeções do INE, a população jovem em Portugal diminuirá de 1,3 milhões em 2022 para 1,1 milhões em 2050 e 1 milhão em 2080”, acrescenta.

Por outro lado, “mais de 65 mil crianças e jovens têm cidadania estrangeira em Portugal, o que representa 4,9% do total da população com menos de 15 anos”, 18% destas crianças já nasceram em Portugal.

Entre as 65 mil crianças estrangeiras destacam-se as nacionalidades brasileira (45%), angolana (8%) e chinesa (4%), com igual prioridade em cerca de 12 mil crianças nascidas em Portugal e distribuídas a nível nacional com 29. % brasileiros, 15% chineses, 9% angolanos, 6% cabo-verdianos e 5% ucranianos.