dezembro 5, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

O projeto de orçamento de Portugal visa um défice baixo apesar de uma recessão acentuada

LISBOA, 10 de outubro (Reuters) – Portugal divulgou seu orçamento para 2023 nesta segunda-feira, prevendo uma forte desaceleração no crescimento econômico, com preços mais altos de energia e alimentos pesando sobre o consumo privado, mas ainda prometendo reduzir ainda mais o déficit público.

Um documento enviado pelo governo ao parlamento, que é dominado pelos socialistas de centro-esquerda, vê o produto interno bruto crescer apenas 1,3% em 2023, após um crescimento de 6,5% este ano.

O governo disse que o orçamento “vem em um ambiente exigente marcado fortemente pelas consequências da invasão da Ucrânia pela Rússia”, mas o plano de gastos proposto “fornece estabilidade, confiança e compromisso” e fornece os meios para lidar com situações mais adversas.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

O ministro das Finanças, Fernando Medina, disse que Portugal começará a tributar os lucros inesperados das empresas de petróleo e gás, de acordo com a recente decisão da UE de tributar os lucros de criptomoedas detidas por menos de um ano em 28%.

O governo cortará impostos para os trabalhadores nas duas faixas de renda mais baixas, enquanto as pensões aumentarão de 3,5 a 4,5%.

A inflação em alta de três décadas e as incertezas macroeconômicas e geopolíticas após a invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro continuam a pesar sobre as economias europeias.

Este ano, os impactos negativos da subida da inflação e das taxas de juro em Portugal foram parcialmente compensados ​​por um mercado de trabalho forte, poupanças acumuladas durante a pandemia de COVID-19 e medidas governamentais de apoio à economia.

O governo espera que a inflação harmonizada da UE em Portugal caia para 4% no próximo ano, de 7,4% em 2022.

READ  O sucesso do projeto Nuno Tavares leva o Arsenal a invadir novamente Portugal

O governo espera que o consumo privado, que representa quase dois terços do PIB, cresça apenas 0,7% em 2022, abaixo dos 5,4% em 2022.

O crescimento das exportações deverá desacelerar para 3,7% de 18,1% este ano, mas o investimento vê um aumento ligeiramente mais forte de 3,6% após 2,9% este ano, apoiado pelo investimento público com financiamento do Plano de Recuperação Europeu.

Apesar da desaceleração econômica, o governo fiscalmente prudente espera reduzir o déficit orçamentário para 0,9% do PIB no próximo ano, de 1,9% em 2022, enquanto a dívida pública deve atingir 110,8% do PIB no próximo ano.

A estimativa da dívida deste ano é 120% menor do que a previsão anterior do governo.

Inscreva-se agora para ter acesso gratuito e ilimitado ao Reuters.com

Reportagem de Sérgio Gonçalves; Edição por Andre Caleb, Nick MacPhee e Andrea Ritchie

Nossos padrões: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.