Maio 24, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

O Braga derrotou o Nacional por 5–0 na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal

O Braga derrotou o Nacional por 5–0 na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal

O Braga vai disputar a final do Dakar de Portugal depois de vencer o Nacional, por 5-0, na primeira mão das meias-finais.

No Estádio da Madeira, os anfitriões começaram de forma brilhante antes de os Warriors assumirem o comando, com Uros Rasic acertando o canto superior e Pizzi vencendo a armadilha do impedimento para abrir uma vantagem de 2 a 0 no intervalo.

A equipa de Artur George manteve o seu domínio após o intervalo, com Rasic e Simon Banza a converterem as grandes penalidades antes de o delicioso dink de Busey ter dado a Banza o quinto golo, após um indefeso Lucas Franza.

A segunda mão será uma formalidade, com George descansando seus jogadores-chave e mandando um time de segunda linha para a pedreira.

O arranque nacional é forte

O Club Deportivo Nacional teve um início ameaçador na Madeira, quando um cruzamento de Ruben Macedo foi cabeceado por cima da trave por Victor Gomez e Jono Aurélio.

O Braga criou a primeira chance aos nove minutos, quando Simon Panza cabeceou para o gol.

Yuri Medeiros teve uma grande chance, que foi defendida por Lucas Franza, e Pipe Gomez acertou na outra ponta para chutar direto para Medeiros.

André Castro lesionou-se e foi substituído por Uros Rasic, enquanto Christian Borja caiu aos dois minutos, mas conseguiu manter-se em campo.

Braga assume o controle

O Braga abriu o placar aos 25 minutos por meio de uma fonte improvável. Uma jogada bem trabalhada resultou em uma saída de bola de fora da área, com o sérvio Vladan Danilovic entrando e finalizando de pé esquerdo no canto superior.

Os Warriors ativaram o estilo e jogaram de gato e rato contra os lutadores da Segunda Liga que, como os Harlem Globetrotters, estavam ocupados perseguindo a bola.

Outro passe habilidoso mandou Simon Panza Bizzi para o gol, onde ele passou por cima de Lucas Franza e entrou na rede. Demorou cinco minutos para o VAR verificar impedimento, marcar o gol e avisar a todos que Busey estava a 30 centímetros de distância.

O ritmo do segundo tempo não diminui

Artur Jorge teve bastante fôlego ao intervalo, pelo que fez duas alterações, Gomez e Medeiros dando lugar a Joe Mendes e Alvaro Jalo.

Quando Borja mandou para a área aos 53 minutos, Clayton caiu e expulsou Banza, obrigando o árbitro Claudio Pereira a marcar pênalti. Panza queria pegá-lo, mas o Zodiac puxou o gráfico, deu um passo à frente e mandou Franca para o lado errado.

Carlos Daniel e Pipe Gomez atiraram direto em Mathias enquanto o Nationals continuava lutando para encontrar buracos na defesa do Warriors.

André e Ricardo Horta deram lugar a Corby Baptiste e Rodrigo Gomes enquanto Braga esfregava mais sal na ferida.

Um grande lançamento de Račic colocou Panza à baliza, que converteu outra grande penalidade a Rafael Vieira. Desta vez, Panza pegou a bola e a rolou despreocupadamente para o canto inferior.

O atacante francês acertou um passe brilhante de Bizzi e venceu Franca para marcar seu segundo gol na prorrogação.

Praga garantiu sua vaga na final

Depois de uma dramática vitória nos pênaltis sobre o Benfica nos quartos-de-final da Taça de Portugal, o Braga não poderia ter pedido um adversário mais fácil.

O Nacional chegou a esta partida dois pontos acima da concorrência na Segunda Liga, tendo perdido três jogos sem marcar e nove sofridos.

Artur colocou Jorge Bizzi e Simon Panza como titulares, e os dois jogadores aproveitaram ao máximo a oportunidade na Madeira, muitas vezes combinando no terço de trás para atacar a fraca defesa do Nacional.

O Braga precisa vencer as últimas quatro partidas em abril, começando com o Gil Vicente na Pedreira no domingo.

Por Mateus Marshall

Destaques