maio 19, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Separatistas do leste da Ucrânia ordenam evacuação em massa enquanto Ucrânia alerta sobre provocação russa

Separatistas do leste da Ucrânia ordenam evacuação em massa enquanto Ucrânia alerta sobre provocação russa

A inquieta parte leste do país viu o pior bombardeio em anos nos últimos dois dias. O ministro da Defesa ucraniano, Oleksiy Reznikov, disse, na sexta-feira, que o bombardeio de terras ucranianas de áreas controladas pelos separatistas aumentou significativamente no último dia.

Cada lado acusa o outro de bombardeio violento de áreas civis. Autoridades ucranianas dizem que houve 60 violações do cessar-fogo na quinta-feira, muitas com armas pesadas.

O governo ucraniano nega que esteja planejando qualquer ataque no leste, acusando os separatistas de uma “campanha de desinformação”.

Autoridades nos estados separatistas de Donetsk e Luhansk disseram que estavam organizando as evacuações. Leonid Pasnik, o principal funcionário da República Popular de Luhansk, pró-russa, instou os homens a pegar em armas.

“A Federação Russa está pronta para oferecer recepção e acomodação organizadas em seu território aos moradores da República Popular de Luhansk”, disse Pasnik. “Mais uma vez, apelo a todos os homens que podem pegar em armas nas mãos, para defender sua terra.”

Ucranianos acusam separatistas de ataque em cidade separatista

Autoridades ucranianas e norte-americanas descartaram na sexta-feira a explosão de um veículo em Donetsk como um ataque planejado com o objetivo de aumentar as tensões no leste da Ucrânia. Um videoclipe mostrou um incêndio em um estacionamento e um veículo militar fortemente danificado perto da sede da autoproclamada República Popular de Donetsk.

Fotos e vídeos mostraram serviços de emergência no local e um veículo severamente danificado identificado pela CNN como um jipe ​​de fabricação russa. Não há como determinar a causa do dano do veículo ou do incêndio.

“Acreditamos que isso é um movimento e uma provocação”, disse Anton Gerichenko, assessor do ministro do Interior da Ucrânia, à CNN via WhatsApp.

READ  Gates parece estar dobrando sua afirmação de que Biden está errado nas principais questões de política externa há décadas

Um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA descreveu a operação como uma “operação pseudocientífica” e disse que incidentes como a explosão de um carro e pedidos de evacuação por líderes separatistas por suposta agressão ucraniana representam “mais tentativas de ofuscar por meio de mentiras e desinformação de que a Rússia é o agressor esta”. conflito.”

O presidente dos EUA, Joe Biden, disse que houve um ligeiro aumento na desinformação russa que poderia ser usada como pretexto para invadir a Ucrânia. Falando na Casa Branca na sexta-feira, Biden disse estar “convencido” de que Putin tomou a decisão de invadir a Ucrânia, mas acrescentou que “a diplomacia é sempre possível”.

Biden disse que os relatórios divulgados ao público russo de que a Ucrânia estava planejando um ataque no Donbass, controlado pelos separatistas, careciam de evidências. Ele disse que essas alegações desafiam a lógica.

“Todas essas coisas estão de acordo com as regras do jogo que os russos usavam antes”, disse Biden.

Ele acrescentou: “Isso também está de acordo com o cenário de pretexto sobre o qual os Estados Unidos e nossos aliados e parceiros vêm alertando há semanas.

Tanto o governo ucraniano quanto as autoridades ocidentais alertaram que a Rússia e a liderança separatista podem tomar ações provocativas para fornecer um pretexto para um ataque russo à Ucrânia.

“Estamos no estágio mais perigoso”, disse uma autoridade ocidental a repórteres na sexta-feira. Eles podem se mover a qualquer momento. A Rússia pode agir em poucos dias. Tudo o que vemos nos deixa mais ansiosos com isso.

Existem 110 grupos táticos de batalhões russos – uma formação de combate geralmente composta por cerca de 1.000 soldados – em torno da Ucrânia, disse a autoridade. O funcionário acrescentou que a Rússia também tinha “uma força aérea pronta para uso”.

De acordo com a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa, vários incidentes de bombardeio ocorreram na manhã de quinta-feira na linha de frente na região de Donbass.  Além disso, os militares ucranianos disseram ter documentado um total de 47 violações do acordo de cessar-fogo em mais de 25 locais.  O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, culpou a Rússia por sua grave violação do acordo de cessar-fogo.  (Foto de Jakub Podkowiak/PRESSCOV/Sipa USA)

Tanto o governo ucraniano quanto as autoridades ocidentais alertaram que a Rússia e a liderança separatista podem tomar ações provocativas para fornecer um pretexto para um ataque russo à Ucrânia.

READ  Os palestinos declaram sexta-feira o "Dia da Fúria" em apoio aos prisioneiros

A região de Donbass tem testemunhado combates entre forças ucranianas e combatentes separatistas desde 2014. O governo ucraniano em Kiev afirma que a República Popular de Donetsk e a República Popular de Luhansk estão sob ocupação russa. As repúblicas declaradas unilateralmente não são reconhecidas por nenhum governo, incluindo a Rússia. O governo ucraniano se recusa a falar diretamente com qualquer uma das duas repúblicas separatistas.

O presidente russo, Vladimir Putin, distribuiu cerca de 600.000 passaportes russos para moradores de regiões separatistas nos últimos anos, uma medida que observadores disseram que poderia abrir caminho para uma intervenção russa na Ucrânia.

Mais de 14.000 pessoas morreram no conflito em Donbass desde 2014. A Ucrânia diz que 1,5 milhão de pessoas foram forçadas a fugir de suas casas, a maioria residindo em regiões de Donbass ainda sob controle ucraniano e cerca de 200.000 pessoas reassentadas na região mais ampla de Kiev.

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, disse na sexta-feira durante seu discurso de abertura na Conferência de Segurança de Munique, na Alemanha, que uma invasão russa da Ucrânia seria “desastrosa”, pedindo esforços diplomáticos contínuos.

“Estou muito preocupado com o aumento das tensões e a crescente especulação sobre um conflito militar na Europa. Ainda acredito que isso não acontecerá, mas se acontecer, será catastrófico”, disse Guterres.

A vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, alertou sobre a conferência de Munique que “uma ação agressiva” da Rússia teria “sérias consequências” de sanções econômicas.

Funcionários da administração de Biden em particular impulso Três autoridades dos EUA e um alto funcionário ucraniano disseram que o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky não deixará a Ucrânia e visitará Munique no sábado devido a temores de uma possível incursão.

Algumas autoridades americanas temem que, se ele deixar o país, isso possa abrir a porta para a Rússia fazer falsas alegações de que ele fugiu. Embora as autoridades não tenham pedido explicitamente a Zelensky para não fazer a viagem – e estão ansiosos para deixar claro que depende dele – tais preocupações foram relatadas, disse uma autoridade.

READ  A França proíbe a entrada de americanos não vacinados para viagens não essenciais

A última avaliação de inteligência dos EUA indica que a Rússia continua os preparativos para invadir a Ucrânia, de acordo com um alto funcionário dos EUA com conhecimento direto e outra fonte com conhecimento direto da inteligência.

A avaliação – que o alto funcionário descreveu como “sombria” – sugere que a Rússia pode atacar nos próximos dias.

As estimativas anteriores que previam uma ação militar da Rússia nesta semana não foram confirmadas.

Nadine Schmidt da CNN em Berlim e Amy Cassidy em Londres contribuíram para este relatório.