maio 19, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Portugal voa com a bandeira azul

Este ano Portugal tem 431 praias, marinas e eco-navios galardoados com bandeira azul, mais 32 do que em 2021.

O anúncio foi feito pelo presidente da Associação Bandeira Azul Europa (ABAE), José Archer, no Centro de Explicação Ambiental da Pedra do Sal, em Cascais, que, na cerimónia, salientou que este ano “quase 15 vezes mais”. Mais do que o número de 25 anos atrás.”

“Trinta e cinco anos depois de ter sido hasteada a primeira bandeira azul, precisamente no concelho de Cascais, onde estamos localizados, vimos o anúncio de que até 2022, 393 praias, 18 marinas e 20 ecocruzeiros vão receber bandeiras azuis. um total de 431 bandeiras azuis foram hasteadas”, disse Jose Archer.

Na próxima época balnear, 21 praias, duas marinas e nove barcos de ecoturismo vão arvorar bandeira azul no ano passado.

Novas adições

As 393 praias estão espalhadas por 102 concelhos, com destaque para Vila Verde, Tabua e Alandrol, que pela primeira vez aplicaram bandeiras às praias e Cascois e Marinha Grande, que regressaram este ano ao programa bandeira azul.

Este ano, voltou a destacar-se o “desenvolvimento contínuo e seguro das margens”, o que, segundo os responsáveis ​​pelo projeto, “mostra o compromisso publicitário do público com a qualidade destas zonas balneares e envolventes”.

Marinas

Para a marina, o Centro Recreativo Marítimo das Velas, o Centro Recreativo Marítimo Lodges du Pico e o Porto de Entretenimento de Machico integram pela primeira vez o projeto Bandeira Azul.

O maior desenvolvimento desta edição, no entanto, é o prémio aos navios ecocruzeiros com mais nove navios de cinco novos operadores, estando assim disponível em todas as regiões excepto nos Açores.

A cerimónia oficial de hasteamento da primeira bandeira azul na praia este ano terá lugar a 9 de junho na Praia de Fikyurinha em Sethupal, seguindo-se o hasteamento da bandeira a 14 de junho na Praia Fluvial de Atoff em Praga. , A primeira bandeira a ser içada em uma marina será no dia 17 de junho em Porto Rico de Oyros.

READ  Algarve na competição para o melhor lugar de praia do mundo

Praias

As famosas praias costeiras e fluviais distribuem-se a norte (82), centro (50), Tejo (77), Allendejo (40), Alcarve (86), Açores (42) e Madeira (16).

Na zona Norte foram premiadas 73 praias e nove praias fluviais em 15 concelhos, com três novas praias (Ponte do Bico, Aquário e Prado Faial), uma reentrada (Ínsua) e uma saída (Queijo) na região.

O centro deste ano conta com 31 praias e 19 praias fluviais com bandeira azul, em 23 concelhos, duas novas praias na lista de Ronquira e Priya Velha, ao mesmo tempo que volta a entrar em Sசாo Pedro de Moயல்le e Santom.

A zona do Tejo tem hoje 77 praias famosas, das quais 63 são praias e 14 são praias. Estão divididos em 21 municípios, com 13 praias a reentrar na lista.

Em Allendez, foram premiadas 40 praias – 32 costeiras e oito fluviais, espalhadas por 12 municípios, com duas praias inscritas no grupo.

Este ano, Alcarve conta com 86 praias premiadas, todas costeiras, incluindo 13 em 16 concelhos, com destaque para a Praia Dona Ana, em Lagos, a sair da lista de prémios.

O arquipélago dos Açores este ano conta com 42 praias famosas, que incluem 10 concelhos, um de reentrada (zona Balérica de Santa Cruz) e quatro de saída.

No arquipélago da Madeira existem 16 praias com bandeira azul em oito concelhos.

Aniversário

Em 2022, as comemorações dos 35 anos da Bandeira Azul vão continuar com o lema “Ajude o Mar a Contar Outra História”.

Para assinalar o seu 35º aniversário, o programa propõe ainda uma estratégia de “apelar à consciência colectiva dos portugueses” e “encorajá-los de que ainda é possível mudar o desfecho desta história”.

READ  O desenvolvedor português de Saint-Tropez está voltando para casa

Segundo José Archer, o tema da recuperação ambiental continua em 2022, pois “não vai acabar em um ano” e a FEE (Fundação de Educação Ambiental) e a ABAE uniram forças com a Década das Nações Unidas para a Recuperação Ambiental.

“GAIA 2030 é uma estratégia desenvolvida pela FEE para abordar três grandes ameaças ambientais na próxima década: mudança climática, perda de biodiversidade e poluição ambiental”, destacou.