Julho 19, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Portugal pretende receber meio milhão de turistas chineses anualmente até 2026

Portugal pretende receber meio milhão de turistas chineses anualmente até 2026

As autoridades do turismo de Portugal estão de olho na China com uma nova meta de meio milhão de visitantes chineses e um milhão de dormidas até 2026 na ITB Beijing, a maior feira comercial da Ásia.

Carlos Abate, chefe do conselho de turismo de Portugal, disse que 57.740 visitantes chineses chegaram ao país da Europa Ocidental no primeiro trimestre de 2024, representando um aumento anual de 135%. Isso não foi suficiente, porém, e apenas 70% dos números pré-pandêmicos foram recuperados.

A recuperação ainda não bateu

A China é o maior mercado emissor de turistas do mundo e, em 2023, estes gastaram mais no estrangeiro do que qualquer outro país. Mas o impacto das rigorosas restrições de viagens da República devido à Covid-19 foi levantado relativamente tarde, o que significa que o último aumento nos números chineses está 44% abaixo dos máximos anteriores à Covid, de acordo com dados do Serviço de Inteligência Económica.

Nos últimos dois anos, a China celebrou acordos de isenção de vistos em todo o mundo, no seu esforço contínuo para se reconectar e fazer negócios. As ligações da aviação comercial devem aumentar, e o atraso na renovação de passaportes e vistos chineses que expiraram durante a pandemia deve centrar-se em facilitar esse impulso, mas espera-se que Portugal recupere totalmente até 2025. .

“Achamos que é possível.”

Alguns poderão dizer que os objectivos de Abbate são conservadores. Embora 500.000 turistas chineses (mais 100.000 do que em 2019) e um milhão de dormidas em 2026 possam parecer ambiciosos, isto representará uma taxa de dormidas de visitantes mais baixa do que em 2019. Receitas de 224 milhões de euros, Abate explicou: “Em linha com as previsões de crescimento do mercado chinês a nível global, pensamos que é possível”.

Parte da estratégia para alcançar esses resultados inclui a atividade nas redes sociais chinesas, às quais se atribui grande parte do sucesso observado no Porto, a segunda cidade de Portugal, que registou um aumento de 107% no número de visitantes chineses desde 2019 no primeiro trimestre de 2024.

Embora os chineses operem firewalls de censura rigorosa, Abate sublinhou a importância de atuar em canais como as plataformas de marketing online, acrescentando que “somos muito ativos nesta área porque percebemos que é aqui que está a dinâmica”. As iniciativas incluem o programa WeChat do Turismo de Portugal, um fórum de partilha de teasers sobre o panorama gastronómico português, incluindo os melhores chefs do mundo e atrações e festivais culturais.