Julho 15, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Portugal desempenha um papel importante na exploração do universo invisível

Portugal desempenha um papel importante na exploração do universo invisível

Portugal é um dos Estados Membros da ESA diretamente envolvidos neste trabalho, com muitos cientistas, engenheiros e empresas portuguesas a contribuir para este emocionante evento.

Portugal é uma parte importante da missão

Portugal é um dos Estados Membros da ESA que desempenha um papel fundamental neste trabalho. O Instituto de Astrofísica e Ciências Espaciais (IA) lidera uma das principais componentes científicas da missão: o planeamento do levantamento do céu. Além disso, seis empresas portuguesas – FHP, Altran, GMV, Active Space, Deimos e Edisoft – estão envolvidas na fabricação de vários componentes de telescópios, incluindo escudos térmicos e o sistema de teste de controle orbital.

Explorando a expansão do universo

A missão Euclides pretende ser a primeira missão espacial projetada para investigar a fonte por trás da rápida expansão do universo; Segundo as teorias cosmológicas, essa expansão é causada pela energia escura, uma força fictícia que se opõe à gravidade. A energia escura, juntamente com a matéria escura (matéria invisível que não emite nem absorve luz), representa 95% do universo, que permanece amplamente inexplorado.

O telescópio Euclides observará bilhões de galáxias durante um período de seis anos e obterá imagens de uma região que o Telescópio Espacial Hubble levaria 30 anos para pesquisar.

O principal objetivo da missão é medir a geometria do universo e obter informações sobre sua composição, estudando a deflexão no caminho da luz causada pela matéria escura em galáxias e aglomerados.

observou o universo há 10 bilhões de anos

Ao mapear as posições das galáxias no espaço tridimensional e estudar seus padrões de coordenação, espera-se que o telescópio Euclid forneça informações valiosas sobre as propriedades da energia escura.

O telescópio Euclides permite que os cientistas olhem para o universo dezenas de bilhões de anos atrás, devido ao tempo que levou para chegar à Terra de estrelas distantes. O telescópio será posicionado em um ponto a 1,5 milhão de quilômetros da Terra, e essa localização estratégica garante estabilidade e evita interferências da luz da Terra e da Lua e do Sol. O telescópio chegará ao seu destino um mês após o lançamento.

O lançamento está definido como 1St Julho

Foguete Falcon 9 entregue SpaceX, que transporta o telescópio Euclides, tem lançamento previsto para as 16h12 (hora de Lisboa) a partir da base da NASA no Cabo Canaveral, nos Estados Unidos. Em caso de problemas, haverá uma segunda chance para largar no domingo.

No centro de controlo da missão na Alemanha, Tiago Loureiro, engenheiro espacial português com 19 anos de experiência na ESA, vai codirigir as operações de voo.

Os primeiros filmes serão lançados ainda este ano

Segundo a AI, a divulgação das primeiras imagens está prevista para novembro, com os primeiros dados científicos previstos para dezembro de 2024.

A missão da ESA tem um custo aproximado de 1,4 mil milhões de euros e inclui a colaboração da NASA, que contribuiu para um dos instrumentos, a plataforma de lançamento, o financiamento de equipas científicas e a instalação de um centro de processamento de dados nos Estados Unidos.

De acordo com Espaço PTA Agência Espacial Portuguesa recebeu mais de 4,5 milhões de euros em contratos entre empresas portuguesas e a ESA.

Originalmente planejado para 2020, o lançamento do telescópio foi adiado para 2022, usando um foguete russo Soyuz da base da ESA na Guiana Francesa. No entanto, em 2022, a ESA cortou seus laços com a Rússia após a invasão do país à Ucrânia em fevereiro.


TPN/Lusa