maio 28, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Madeira quer ser “Singapura do Oceano Atlântico”

A ilha portuguesa da Madeira deve ser considerada a “Cingapura do Atlântico”. Na verdade, Secretário Regional de Saúde Pedro Ramos Diz-se que ele disse que estava “cada vez mais convencido” de que já existia.

A notícia foi publicada no site oficial de notícias do estado Lucas. Mas com a data e a ‘era pós-realidade’ em mente, não podemos dizer com certeza que não estabelecemos um tolo de abril (de outra forma) brilhante ao repeti-lo enquanto o mundo vacila.

Segundo a Lusa, Ramos não considerou a ambição de forma alguma “desarrazoada”.

Falando na cerimônia de abertura da sala Um sinal 5G foi instalado no Hospital Dr. Nélio Mentonsa no Funchal“Há cerca de 250 mil pessoas na Madeira e 6 milhões em Singapura, mas a Madeira é a maior em termos geográficos”, disse. Quem conheceu Cingapura há 40/50 anos sabe que Cingapura não existe agora”, explica Lucas.

“Então, houve toda uma jornada”, disse Ramos ao seu público – e a ambição (de chegar lá) que todos precisamos realizar.

“A Madeira é um lugar seguro para todo o mundo, saudável, temos ambições de criar aqui centros de ciência, centros económicos, centros financeiros, e queremos que venham mais pessoas para cá.”

“O senhor Ramos listou alguns dos marcos dos 600 anos de história da ilha, destacando que a região está atualmente em processo de transformação digital, o que beneficiará o setor da saúde.

O governador salientou ainda que o novo Hospital Central e Universitário da Madeira estará “em funcionamento dentro de cinco a seis anos” e será dotado de rede 5G.

No entanto, ele reconheceu que houve “alguns contratempos” causados ​​pela epidemia de Kovit-19 e pela guerra na Ucrânia.

READ  A vantagem dos socialistas portugueses nas eleições de 30 de janeiro é baixa, mostram sondagens

* A história da Madeira tem mais de 600 anos. Pode ter sido nomeado Madeira em 1418, depois de ter sido ‘descoberto’ por dois capitães sob a missão de Henrique, o Navegador, mas, Plutarco Seu Vidas paralelas (Certorius75 DC) Comandante do Exército Quintus Certorius (72 aC), Idlik descreve encontros com marinheiros que falavam das ilhas atlânticas: “Essas ilhas são divididas por dois estreitos muito estreitos e dizem que ficam 10.000. Longa distância [2,000 km] Da África. Naquela época, as ilhas eram chamadas de Ilhas Abençoadas (Wikipedia).

Fontes: Lusa et al. JM Madeira