julho 6, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

“Fadiga acumulada”: Primeiro-ministro recebe aconselhamento médico em férias de três dias

O primeiro-ministro português, António Costa, descreveu hoje a “fadiga acumulada” como ausente do calendário de furacões das comemorações do ‘Dia de Portugal’.

Ele não está se sentindo bem’, diz o presidente Marcelo – que vem fazendo vários aparelhos se deslocando de Praga para Londres, no Reino Unido – “mas não é Kovit”. O presidente diz que não é uma doença grave. Isso é apenas “doença”, o que torna o ‘esforço sem sentido’.

Costa recordou aquele dia com um tweet: “Saúdo todos os portugueses do mundo que se lembram da nossa língua, da nossa cultura, da nossa história e de tudo o que compõe a identidade de um povo. Celebramos Portugal e continuamos a trabalhar por um país melhor .”

Hoje é, nas palavras do próprio presidente Marcelo, “o dia mais intenso”, o “evento mais intenso” da noite, aliás, amanhã.

“Faz sentido que o primeiro-ministro descanse e se recupere”, disse o chefe de Estado de 73 anos, que estava em Praga para o início das comemorações e agora está indo para o Reino Unido para se encontrar com os membros. imigrantes portugueses.

Costa, de 60 anos, teria tido uma ‘febre’ quando voltou de uma visita ao presidente francês Emmanuel Macron, e foi nesse momento que seu médico disse que ele deveria “se recuperar dentro de dois a três dias”.

O dia 10 de junho não é apenas o ‘Dia de Portugal’ – o dia conhecido como ‘Dia de Raza’ durante a ditadura, Dia (Português) – é um momento para comemorar a poesia de Louis Camos e a contribuição das ‘comunidades portuguesas’.

Por isso, quando o Presidente Marcelo tomou posse em 2016 colocou um novo ciclo de comemorações, anunciando que o 10 de junho deve ser sempre lembrado em locais diferentes: um dentro de Portugal e outro com a comunidade portuguesa noutros lugares do mundo.

READ  Portugal está firmemente no "radar do mundo imobiliário"

A ideia era que ele fizesse isso com o primeiro-ministro – é isso que vem acontecendo desde 2016.

No primeiro ano de mandato de Marcelo, ele e António Costa comemoraram o dia entre Lisboa e Paris; 2017 dividiu o dia entre Porto e Brasil; 2018 entre Açores e EUA; Entre 2019 Portalegre e Cabo Verde, então a peste atirou uma chave inglesa nas viagens e celebrações ultramarinas, que eram apenas em Portugal na medida do possível.

Este é o primeiro ano que o Presidente/Primeiro-Ministro não teve um duplo padrão.

Marcelo vai encontrar-se com representantes das comunidades portuguesas para um jantar em Londres esta noite, indo à Escola Anglo-Portuguesa da cidade no sábado de manhã, e terminando com um jantar no Royal Prompton & Harfield Hospital, Imperial College, Londres. À noite.

Ao meio-dia de domingo, ele voa de Londres para uma viagem a Andorra.

O plano de mudança para Londres este ano surge no contexto de o Reino Unido já não ser membro da União Europeia, mas sim um número significativo de residentes portugueses.

Existem “comunidades portuguesas muito diferentes” no Reino Unido, admite Marcelo: uma é ‘velha, muito’; o Presidente vai visitar-se dentro de 24 horas.

A característica mais notável deste Dia Português é que o Presidente de Portugal tem a tolerância para tanto incentivo/atenção nacional. Ele foi um evento – não importa de que maneira você olhe – e tem sido uma coisa também Post bastante irresponsável no Instagram Recentemente, o rapper americano Snoop Dock mostra quantas pessoas ele beija – e com que rapidez – em compromissos oficiais.

natasha.donn@portugalresident.com