Julho 20, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Dezenas de pessoas foram mortas durante o mês do Ramadã na capital, Sana’a

Dezenas de pessoas foram mortas durante o mês do Ramadã na capital, Sana’a

legenda da foto,

Os responsáveis ​​pela distribuição foram presos

Pelo menos 78 pessoas foram mortas em um tumulto em uma escola na capital do Iêmen, Sanaa, durante uma distribuição de caridade do Ramadã, disseram autoridades.

Imagens de televisão mostram uma multidão de pessoas impossibilitadas de se mover, muitas em perigo, na área de Bab al-Yemen da cidade.

Centenas de pessoas supostamente invadiram a escola na quarta-feira para receber doações no valor de cerca de US$ 9 (£ 7; € 8) por pessoa.

O grupo rebelde Houthi controla Sanaa desde 2015.

Um vídeo publicado nas redes sociais mostra pessoas gritando e dezenas de cadáveres no chão, alguns deles imóveis. Ele olha para outras pessoas tentando ajudar.

O Ministério do Interior disse que dois empresários locais que organizaram o evento foram presos e uma investigação está em andamento.

Um porta-voz do ministério culpou a debandada na “distribuição aleatória” de fundos sem coordenação com as autoridades locais.

Uma autoridade de saúde em Sanaa disse que várias pessoas também ficaram feridas e 13 estão em estado crítico.

“Mulheres e crianças estavam entre os mortos”, disse à AFP um oficial de segurança Houthi, sob condição de anonimato, porque não estava autorizado a falar com repórteres.

Os rebeldes teriam posteriormente fechado a escola e impedido as pessoas, incluindo jornalistas, de se aproximarem.

Os Houthis concordaram em pagar US$ 2.000 (£ 1.600) para cada família que perdeu um parente, enquanto os feridos receberão cerca de US$ 400 (£ 322).

Noções básicas do Iêmen

  • O Iêmen foi devastado por um conflito que se intensificou em 2015, quando os houthis assumiram o controle de grandes partes do país e uma coalizão liderada pela Arábia Saudita interveio para apoiar o governo iemenita.
  • Mais de 150.000 pessoas foram mortas no conflito, que é amplamente visto como uma guerra por procuração entre a Arábia Saudita e o Irã.
  • Mais de 23 milhões de pessoas – três quartos da população – precisam de algum tipo de assistência
  • A sede do governo internacionalmente reconhecido do Iêmen está agora em Aden

O evento ocorreu durante os últimos dias do mês sagrado islâmico do Ramadã.

Na semana passada começou uma grande troca de prisioneiros entre as partes em guerra do Iêmen, vista como parte de esforços intensificados para acabar com o devastador conflito de oito anos.

Mohammed Ali al-Houthi, chefe do Comitê Revolucionário Supremo dos Houthis, culpou o esmagamento de quarta-feira à crise humanitária do país.

“Nós responsabilizamos os países agressores pelo que aconteceu e pela amarga realidade que o povo iemenita vive por causa da agressão e do bloqueio”, disse ele no Twitter.

Você também pode estar interessado em:

vídeo explicativo,

O editor do Oriente Médio da BBC, Jeremy Bowen, encontra crianças aterrorizadas que fogem da guerra civil e de ‘fantasmas’ no Iêmen (novembro de 2021)