Julho 13, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Boas previsões para a época das uvas de mesa em França, Itália, Portugal e Espanha

Boas previsões para a época das uvas de mesa em França, Itália, Portugal e Espanha

Um Grupo de Contacto da Uva de Mesa, composto por representantes de associações-chave do sector, incluindo a Fepex-Apoexa, e funcionários governamentais de França, Itália, Espanha e Portugal, reuniu-se esta semana em Avignon (França). A equipa reviu as previsões da época e concordou em trabalhar para melhorar a disponibilidade de produtos fitossanitários, avaliando uvas de boa qualidade em geral.

O grupo de contato da uva de mesa constatou que um dos principais problemas de produção é o desaparecimento gradual de substâncias fitossanitárias e princípios ativos, o que dificulta o manejo e controle adequado de pragas, que é o problema dos grupos de contato de alho, frutas de caroço, pêra e maçã . Também destacado. O grupo também concordou em desenvolver um estudo conjunto para determinar os princípios ativos utilizados em cada país que deverão continuar na área. Um estudo já iniciado por produtores franceses, aos quais se juntarão italianos e espanhóis.

Concordou também em aceitar a proposta da Fepex de que a autorização de produtos fitofarmacêuticos seja efectuada numa base regional e não pelos Estados-Membros, para garantir uma maior disponibilidade destes produtos. Desta forma, se um produto for aprovado, por exemplo, em Espanha, será automaticamente aprovado em todos os países da zona sul. Atualmente, o Regulamento 1107/2009 relativo à comercialização de produtos fitofarmacêuticos estabelece três zonas para a autorização de produtos fitofarmacêuticos: a zona A, que corresponde aos países do norte, como Dinamarca, Suécia e Finlândia; A Zona B é composta por países da Europa Central, como Bélgica, Alemanha, Holanda, Áustria… e a Zona C é composta por países do Sul, como Espanha, França, Grécia e Itália.

A equipa de contacto também analisou as previsões de campanha nos quatro países e prevê que será uma campanha normal e de boa qualidade dependendo das condições meteorológicas nos próximos meses.

A Espanha deverá produzir 300 mil toneladas de uvas nesta temporada, afirma Joaquin Gomez, diretor da Apoexpa (associação de produtores e exportadores de frutas, uvas de mesa e outros produtos agrícolas de Múrcia). Cerca de 230 mil toneladas virão do principal produtor e exportador do país, a região de Múrcia, que na semana passada iniciou a comercialização dos primeiros lotes da temporada. A produção espanhola entra primeiro no mercado, seguida gradualmente pelos produtos de Portugal, Itália e França, último país a iniciar a campanha em agosto.

O grupo da uva de mesa foi um dos últimos grupos de ligação criados no âmbito do Grupo Misto França-Espanha-Itália-Portugal de Frutas e Legumes. A sua constituição responde ao crescimento da produção da uva Abreña, especialmente em Espanha e Itália, e ao crescente interesse da procura europeia. O grupo, que se reuniu pela primeira vez em 2019, concordou esta semana numa reunião em Avignon realizar a próxima reunião em Portugal. O Governo de Espanha foi representado pelos Conselheiros Agrícolas da Embaixada de Espanha em Paris e da Embaixada de Espanha em Roma, Manuel Raisco e Juan Brito, respetivamente.

Segundo dados aduaneiros tratados pela Febex, Espanha exportou 132.664 toneladas de uva de mesa no valor de 329 milhões de euros em 2023.

Para maiores informações: fepex.es