maio 24, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Agitação provocada por manifestações de extrema-direita continua na Suécia

Agitação provocada por manifestações de extrema-direita continua na Suécia

A agitação eclodiu no sul da Suécia, apesar da polícia ter transferido a marcha de um grupo anti-islâmico de extrema direita, que planejava queimar um Alcorão entre outras coisas, para um novo local por precaução.

HELSINQUE – A agitação eclodiu no sul da Suécia na noite de sábado, apesar da polícia mover uma manifestação organizada por um grupo de extrema-direita anti-islâmica, que planejava queimar um Alcorão entre outras coisas, para um novo local como precaução.

A polícia sueca disse que cerca de 100 jovens, a maioria atirou pedras, incendiou carros, pneus e latas de lixo, e ergueu uma cerca que obstruiu o tráfego. A situação se acalmou em Landskrona no sábado, mas permaneceu tensa, disse a polícia, acrescentando que não houve feridos na operação.

Confrontos violentos eclodiram na noite de sexta-feira entre manifestantes e contramanifestantes na cidade central de Orebro, antes de um plano do Stram-Course para queimar um Alcorão lá, ferindo 12 policiais e queimando quatro carros da polícia.

Imagens de vídeo e fotos de cenas caóticas em Örebro mostraram carros de polícia em chamas e manifestantes jogando pedras e outros objetos em policiais com equipamento anti-motim.

A porta-voz da polícia no sul da Suécia, Kim Held, disse no sábado que a polícia não revogaria a permissão para a manifestação de Landskrona porque o limite para fazê-lo é muito alto na Suécia, que valoriza a liberdade de expressão.

READ  Protestos anti-vacina franceses eclodem no sexto fim de semana

Held disse à agência de notícias sueca TT que o direito dos manifestantes de “demonstrar e falar tem muito peso e leva uma quantidade incrível para ser ignorado”.

A manifestação ocorreu na noite de sábado em um parque central em Malmö, onde Rasmus Palaudan, líder do Strambourg, se dirigiu a dezenas de pessoas. Alguns contra-manifestantes atiraram pedras nos manifestantes e a polícia teve que usar spray de pimenta para dispersá-los.

A mídia sueca informou que o próprio Paludan foi atingido por uma pedra na perna. A polícia disse que não há relatos de feridos graves.

Desde quinta-feira, os confrontos também foram relatados em Estocolmo e nas cidades de Linkoping e Norrkoping – todos os locais onde Stram Kurs planejou ou teve manifestações.

Baludan, um advogado dinamarquês que também possui cidadania sueca, fundou Stram Kurs, ou “Hard Line”, em 2017. O site do partido, que opera com uma agenda anti-imigração e anti-islâmica, diz: “Stram Kurs é o mais patriótico partido político na Dinamarca.”