Junho 18, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Uma autoridade egípcia descarta informações vazadas indicando que as forças armadas do país estão produzindo armas para a Rússia

Uma autoridade egípcia descarta informações vazadas indicando que as forças armadas do país estão produzindo armas para a Rússia

(CNN) Um alto funcionário egípcio negou que o exército egípcio estivesse planejando produzir 40.000 mísseis para ele RússiaA mídia egípcia afiliada ao estado disse, seguindo o que o Washington Post relatou sobre um documento de inteligência dos EUA vazado.

a Um documento de inteligência dos EUA vazado O Washington Post disse que o presidente egípcio Abdel Fattah al-Sisi instruiu as autoridades a manter a produção e o transporte em segredo “para evitar problemas com o Ocidente”.

O Washington Post disse que o “documento ultrassecreto” datado de fevereiro cita conversas entre Sisi e altos oficiais militares egípcios referindo-se aos planos de fornecer artilharia e pólvora à Rússia e manter os planos em segredo.

A CNN não viu o documento citado pelo The Washington Post e não pode confirmar sua autenticidade.

O canal de notícias Al-Qahera disse que a autoridade egípcia, que não foi identificada pela mídia afiliada ao Estado, descreveu a reportagem do Washington Post como “absurdo da mídia” e disse que o Egito está adotando uma “política equilibrada” com todas as partes internacionais. A declaração foi publicada por vários meios de comunicação estatais egípcios.

O Egito é um dos maiores receptores de ajuda militar dos EUA no mundo, recebendo US$ 1,3 bilhão em financiamento militar anualmente.

A Casa Branca também disse não ter indícios de que o Egito esteja fornecendo armas letais à Rússia.

“Não vimos nenhuma indicação de que o Egito está fornecendo armas letais para a Rússia”, disse John Kirby, porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos EUA, a repórteres a bordo do Força Aérea Um.

Kirby disse que o Egito continua e continuará sendo um “importante parceiro de segurança”.

“Os militares dos EUA têm um relacionamento de defesa de longo prazo com o Egito, que remonta a muitos anos”, disse ele.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, descreveu a informação como “outra farsa”.

“Parece mais um embuste, dos quais existem muitos agora. É assim que você deve lidar com essas publicações”, disse Peskov em resposta a uma pergunta de um repórter sobre o relatório.

A CNN entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores do Egito para comentar.

Documentos ultrassecretos do Pentágono vazados online nas últimas semanas ofereceram uma rara janela para como os Estados Unidos espionam aliados e inimigos, preocupando profundamente as autoridades americanas, que temem que as informações possam ameaçar fontes sensíveis e ameaçar importantes relações exteriores.

Vários dos documentos, que as autoridades americanas dizem ser autênticos, tinham marcas indicando que o braço de inteligência do Joint Chiefs of Staff, conhecido como J2, parecem ser documentos resumidos.

O Egito expressou publicamente sua silenciosa oposição à invasão da Ucrânia pela Rússia. Apoiou as resoluções da ONU condenando a guerra, incluindo um apelo em fevereiro para que Moscou “retirasse imediata, completa e incondicionalmente todas as suas forças militares do território da Ucrânia e pediu o fim das hostilidades”.

A economia do país foi atingida pelo conflito, já que o Egito depende fortemente das exportações de grãos dos dois países.

Jennifer Hansler, da CNN, contribuiu para este relatório.