julho 2, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Ucrânia diz que forças russas estão tentando cortar acesso a Severodonetsk

Ucrânia diz que forças russas estão tentando cortar acesso a Severodonetsk

  • Ucrânia diz que Rússia está pressionando para tomar Severodonetsk
  • Reino Unido diz que atividade aérea russa é alta na região de Donbass
  • As Nações Unidas estão tentando intermediar um acordo para as exportações de grãos da Ucrânia

Kyiv (Reuters) – Kyiv disse neste sábado que Moscou reforçou suas forças em torno de Severodonetsk e está tentando cortar o acesso da Ucrânia à cidade industrial que era o foco de uma ofensiva russa para tomar a região leste de Donbass.

Serhiy Gaidai, governador da província de Luhansk, disse que as forças russas explodiram pontes sobre o rio Seversky Donets para impedir que a Ucrânia trouxesse reforços militares e entregasse ajuda a civis em Severodonetsk. Consulte Mais informação

“O exército russo, como entendemos, está fazendo todos os seus esforços e todas as suas reservas na direção de (Severodonetsk)”, disse Gidai em uma transmissão ao vivo pela televisão no sábado.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

“Os russos estão explodindo pontes, então não conseguimos trazer reforços para nossos filhos em Severodonetsk”, disse ele.

Desde a sua expulsão da capital Kyiv, a Rússia lançou uma ofensiva maciça contra Luhansk e Donetsk, as duas províncias que compõem a região oriental de Donbass.

Para ambos os lados, os combates no leste nas últimas semanas foram uma das fases mais sangrentas da guerra, com a Ucrânia dizendo que está perdendo de 60 a 100 soldados todos os dias.

Os militares da Ucrânia disseram no sábado que a Rússia usou artilharia para lançar “operações ofensivas” em Severodonetsk, mas que as forças russas recuaram e as forças ucranianas mantêm posições dentro da cidade, a cerca de 145 quilômetros da fronteira russa.

READ  Príncipe Harry e Meghan Markle participam do serviço da Igreja do Jubileu da Rainha

O Estado-Maior do Exército ucraniano disse que soldados russos também tentaram avançar em direção a Lyschansk, atravessando o rio Seversky Donets a partir de Severodonetsk, mas foram impedidos.

A Reuters chegou a Severodonetsk na quinta-feira e conseguiu verificar que os ucranianos ainda controlavam parte da cidade.

O governador da região vizinha de Donetsk disse à Reuters na sexta-feira que as forças russas estavam a apenas 15 quilômetros da cidade de Sloviansk. Consulte Mais informação

O Ministério da Defesa da Grã-Bretanha disse no sábado que a atividade aérea russa permaneceu alta sobre Donbass, já que aeronaves russas lançaram ataques usando munições guiadas e não guiadas. Consulte Mais informação

Na manhã de sábado, um míssil caiu sobre uma unidade de armazenamento agrícola, na região de Odessa, no sul da Ucrânia, escreveu um porta-voz da administração regional no Telegram, ferindo duas pessoas.

cortar o fornecimento de grãos

Dezenas de milhares morreram, milhões foram expulsos de suas casas e a economia global tem sido turbulenta na guerra que marcou seu 100º aniversário na sexta-feira.

Autoridades ucranianas estão contando com sistemas avançados de mísseis recentemente prometidos pelos Estados Unidos e Grã-Bretanha para balançar a guerra a seu favor, e as forças ucranianas já começaram a treinar neles. Consulte Mais informação

Moscou disse que as armas ocidentais “alimentariam o fogo”, mas não mudariam o curso do que chamou de “operação militar especial” para desarmar a Ucrânia e livrá-la de nacionalistas perigosos.

READ  A França proíbe a entrada de americanos não vacinados para viagens não essenciais

A guerra teve um impacto devastador na economia global, especialmente para os países pobres importadores de alimentos.

A Ucrânia é uma das principais fontes mundiais de grãos e óleo de cozinha, mas esses suprimentos foram em grande parte cortados pelo fechamento de seus portos no Mar Negro pela Rússia, com mais de 20 milhões de toneladas de grãos presos em silos.

Kyiv e seus aliados culpam Moscou por bloquear os portos.

O presidente russo, Vladimir Putin, negou nesta sexta-feira que Moscou proibiu os portos ucranianos de exportar grãos, culpando o Ocidente pelos altos preços globais dos alimentos.

Moscou diz que as sanções também estão prejudicando suas exportações de grãos e fertilizantes, exacerbando a escassez.

Nesta semana, o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, tentou intermediar o que ele chama de “acordo abrangente” para retomar as exportações de alimentos ucranianos e as exportações russas de alimentos e fertilizantes.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Reportagem para Natalia Zenets, Pavel Pollyuk, Max Hunder e Conor Humphreys em Kyiv, escritórios da Reuters.

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.