maio 22, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Secretário-Geral da ONU diz ao Conselho de Segurança: Afeganistão está 'pendurado por um fio'

Secretário-Geral da ONU diz ao Conselho de Segurança: Afeganistão está ‘pendurado por um fio’

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) – O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Antonio Guterres, disse ao Conselho de Segurança nesta quarta-feira que o Afeganistão está “pendurado por um fio” e pediu aos países que permitam todas as transações necessárias para realizar atividades humanitárias em áreas controladas pelo Talibã. doença.

Ele também pediu a suspensão de quaisquer regras ou condições que restrinjam as operações de socorro “salva vidas”, já que milhões no país sofrem de fome extrema, educação e serviços sociais estão à beira do colapso e a escassez de dinheiro limita a capacidade das Nações Unidas e grupos de ajuda para alcançar os necessitados.

“Precisamos dar às instituições financeiras e parceiros comerciais garantia legal de que eles podem trabalhar com trabalhadores humanitários sem medo de violações de sanções”, disse Guterres, observando que o conselho de 15 membros adotou no mês passado uma renúncia humanitária às sanções da ONU impostas ao Afeganistão.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

As reservas de US$ 9,5 bilhões do banco central do Afeganistão ainda estão bloqueadas no exterior, e o apoio internacional ao desenvolvimento secou desde que o Taleban tomou o poder em agosto. Os doadores procuram usar o dinheiro como alavanca para o Talibã em questões como os direitos humanos.

“Há evidências convincentes de um ambiente de intimidação e deterioração do respeito aos direitos humanos. Isso sugere que a consolidação do poder do governo pode levar ao controle das populações com medo”, disse ao conselho a enviada especial da ONU para o Afeganistão, Deborah Lyons.

Em dezembro, doadores do congelado Fundo Fiduciário para Reconstrução do Afeganistão administrado pelo Banco Mundial concordaram em transferir US$ 280 milhões para o Programa Mundial de Alimentos e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) para apoiar a nutrição e a saúde no Afeganistão. Guterres disse que os US$ 1,2 bilhão restantes no fundo precisam ser “liberados com urgência para ajudar o povo afegão a sobreviver ao inverno”.

READ  A Universidade de Hong Kong diz que a estátua da "Coluna da Vergonha" em homenagem aos mortos da Praça Tiananmen deve ser removida

A embaixadora dos EUA nas Nações Unidas, Linda Thomas Greenfield, disse ao conselho que Washington se moveu para garantir que as sanções dos EUA não impeçam a atividade humanitária e que está considerando várias opções para mitigar a crise de liquidez.

A necessidade de dinheiro na economia afegã

O chefe de ajuda da ONU, Martin Griffiths, e o presidente do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, Peter Maurer, se encontraram virtualmente com o secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken, no início deste mês sobre o Afeganistão.

Dominic Stillhart, diretor de operações do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, disse que as discussões “intensas” entre as Nações Unidas, o Comitê Internacional da Cruz Vermelha, o Banco Mundial e os principais países doadores centraram-se no “Humanitarian Exchange Facility” que o Banco Mundial apoiaria ou gerenciaria e permitiria. Vai injetar dinheiro na economia afegã.

Ele disse a repórteres que o dinheiro poderia ser depositado na instalação e “sob certas condições, o dinheiro poderia ser disponibilizado para os comerciantes no Afeganistão”, embora tenha dito que era uma medida temporária porque “deveria ser o banco central que deveria ter poderes para realizar essas operações. funções.”

“Uma economia afegã eficaz acabará por exigir um banco central independente e tecnicamente competente que atenda aos padrões bancários internacionais”, disse Thomas Greenfield.

Stillhart disse que é necessário um acordo entre as Nações Unidas, o Banco Mundial e os principais doadores para “iniciar este mecanismo”, observando que a discussão não está relacionada ao descongelamento de ativos afegãos ou mudanças nas sanções contra o Talibã.

Ele disse que uma ideia separada também está sendo discutida, que inclui o uso de dinheiro do Fundo Fiduciário para Reconstrução Afegã, administrado pelo Banco Mundial, para pagar funcionários do setor público não relacionados à segurança.

READ  Índia intensifica o controle da poluição na capital ao suspender usinas de energia

As Nações Unidas no início deste mês pediram US$ 4,4 bilhões em ajuda humanitária ao Afeganistão em 2022. Na quarta-feira, disse que precisava de outros US$ 3,6 bilhões para saúde, educação, infraestrutura básica, melhoria de meios de subsistência e coesão social, especificamente as necessidades de mulheres e crianças. as raparigas.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

(Reportagem de Michelle Nichols e Jonathan Landay) Edição de Jonathan Otis e Leslie Adler

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.