julho 3, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Rússia empurra forças ucranianas para os arredores de uma importante cidade do leste

Rússia empurra forças ucranianas para os arredores de uma importante cidade do leste

  • Forças russas intensificam sua ofensiva para tomar a principal cidade de Luhansk
  • Ucranianos podem cortar gastos, mas não vão desistir de lutar – Governador
  • Turquia e Rússia estudam plano da ONU para permitir exportações de grãos ucranianos

Kyiv/ESLOVÊNIA, Ucrânia (Reuters) – Forças ucranianas se retiraram para os arredores da cidade oriental de Severodonetsk nesta quarta-feira diante de uma feroz ofensiva russa, disse o governador da região, outra grande mudança de impulso em uma região. A batalha mais sangrenta da guerra.

A Rússia concentrou suas forças e poder de fogo na pequena cidade industrial nas últimas semanas para proteger a província vizinha em nome dos representantes separatistas. A Ucrânia prometeu lutar lá o maior tempo possível, dizendo que a batalha pode ajudar a moldar o curso da guerra.

Depois de anunciar um contra-ataque surpresa na semana passada, o governador da região de Luhansk disse na quarta-feira que a maior parte da cidade estava novamente nas mãos dos russos.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

“…(Nossas forças) agora controlam apenas os arredores da cidade novamente. Mas a luta ainda continua”, disse Serhi Gaidai à mídia RBC-Ucrânia.

Gidayi disse em um post online que as forças ucranianas ainda controlam toda a cidade gêmea menor de Lysekhansk, na margem ocidental do rio Seversky Donets, mas que as forças russas estão destruindo prédios de apartamentos lá.

O Ministério da Defesa da Ucrânia disse que as forças russas têm 10 vezes mais equipamentos do que as forças ucranianas em algumas partes de Severodonetsk. A Ucrânia quer que seus aliados ocidentais acelerem as entregas de armas, alertando que a Rússia pode romper suas linhas no leste.

“Estamos defendendo nossas posições e infligindo pesadas perdas ao inimigo. Esta é uma batalha muito feroz e muito difícil, talvez uma das mais difíceis desta guerra”, disse o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky em um discurso à noite.

READ  Exclusivo: Tesla interrompe a maior parte da produção na fábrica de Xangai, interrompe as vendas de abril

“(De muitas maneiras, o destino do Donbass é determinado lá”, acrescentou Zelensky.

A Reuters não conseguiu verificar de forma independente a situação em Severodonetsk.

Moscou diz estar envolvida em uma “operação militar especial” para desarmar e “desacreditar” seu vizinho. A Ucrânia e seus aliados dizem que Moscou lançou uma guerra de agressão não provocada que matou milhares de civis e arrasou cidades.

Números da ONU mostram que mais de 7 milhões de pessoas cruzaram a fronteira da Ucrânia desde a invasão russa em 24 de fevereiro.

“Deus me salvou”

Luhansk e a província vizinha de Donetsk formam o Donbass, que Moscou reivindicou para seus representantes que controlam as partes orientais da região desde 2014. Moscou vem tentando cercar as forças ucranianas nas áreas ainda sob seu controle.

A oeste de Sievierodonetsk, em Sloviansk, uma das principais cidades de Donbass em mãos ucranianas, mulheres com filhos pequenos faziam fila para coletar ajuda enquanto outros moradores carregavam baldes de água pela cidade.

A maioria dos moradores fugiu, mas as autoridades dizem que cerca de 24 mil ainda estão na cidade, a caminho de uma esperada ofensiva das forças russas que se reagruparam no norte.

Albina Petrovna, 85, descreveu o momento em que houve um ataque ao prédio em que ela estava hospedada, quebrando as janelas de sua casa e destruindo sua varanda.

“O vidro quebrado caiu sobre mim, mas Deus me salvou”, disse ela. “Tenho arranhões em todos os lugares…”.

READ  Mar da China Meridional: USS Benfold desafia reivindicações territoriais chinesas

A Rússia mudou seu foco para o Donbass desde a derrota de suas forças nos arredores de Kyiv em março.

Os militares ucranianos disseram que quatro pessoas foram mortas durante o bombardeio russo de cerca de 20 cidades em Donbass nas últimas 24 horas, e que suas forças mataram 31 soldados russos. A Reuters não conseguiu verificar os números imediatamente.

Em Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, os moradores estavam limpando os escombros do bombardeio do dia anterior. A Ucrânia expulsou as forças russas no mês passado dos arredores da cidade, mas a Rússia continua a atacá-los esporadicamente.

Imagens de televisão fechadas mostraram o momento na noite de terça-feira, quando um suposto míssil atingiu um shopping center em Kharkiv que abrigava um supermercado, espalhando detritos e mercadorias. Imagens de drone mostraram um buraco no telhado do grande edifício.

“As colunas de sustentação foram completamente destruídas”, disse Svetlana Diulina, gerente do supermercado, acrescentando que ninguém ficou ferido no ataque.

medo de pílulas

A Ucrânia é um dos maiores exportadores de grãos do mundo, e os países ocidentais acusam a Rússia de criar a ameaça de fome global ao bloquear os portos da Ucrânia nos mares Negro e Azov. Moscou diz que as sanções ocidentais são as culpadas pela escassez de alimentos.

A Turquia está tentando mediar as negociações para abrir os portos da Ucrânia no Mar Negro. O ministro das Relações Exteriores, Mevlut Cavusoglu, recebeu o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, e disse que um acordo apoiado pela ONU sobre os portos é possível com mais negociações. Consulte Mais informação

Lavrov disse que os portos ucranianos poderiam ser abertos, mas a Ucrânia teria que liberá-los primeiro. A Ucrânia descartou as afirmações russas como “palavras vazias” e disse que os ataques russos a terras agrícolas e locais agrícolas estão exacerbando a crise.

READ  A Rainha retorna às funções públicas para o serviço memorial

Vitaly Kim, governador da região de Mykolaiv, onde bombardeios russos destruíram armazéns de um dos maiores terminais de commodities agrícolas da Ucrânia no fim de semana, disse à Reuters que Moscou está tentando assustar o mundo para que cumpra seus termos. Consulte Mais informação

O Kremlin havia citado anteriormente o presidente russo, Vladimir Putin, dizendo que as sanções ocidentais deveriam ser suspensas para que os grãos russos pudessem chegar ao mercado. Consulte Mais informação

Para piorar a situação, o governo instalado pela Rússia na parte ocupada da região de Zaporozhye, no sul da Ucrânia, disse que planeja realizar um referendo ainda este ano sobre a adesão à Rússia. Autoridades russas na província de Kherson, no oeste do país, anunciaram planos semelhantes.

Alguns legisladores do partido Rússia Unida, no poder da Rússia, sugeriram unir o Donbass com a Rússia também. A região ainda não anunciou um referendo, mas o líder separatista da República Popular de Donetsk, Denis Pushlin, substituiu seu governo na quarta-feira, citando a necessidade de fortalecer os “processos de integração”.

A Ucrânia e seus aliados ocidentais consideram ilegítimos quaisquer referendos planejados nos territórios ocupados e provam que o verdadeiro objetivo da Rússia é ocupar os territórios. Consulte Mais informação

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Reportagem adicional de Tom Palmforth, Natalia Zenets, David Leungren e escritórios da Reuters. Escrito por Himani Sarkar, Gareth Jones e Philippa Fletcher; Edição por Michael Perry, Peter Graf, Alex Richardson e Cynthia Osterman

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.