maio 17, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Relatório sobre as expectativas da festa de bloqueio do PM Johnson esperadas em breve

Relatório sobre as expectativas da festa de bloqueio do PM Johnson esperadas em breve

  • Relatório de inquérito interno será publicado quarta-feira – mídia
  • Johnson e funcionários acusados ​​de quebrar regras
  • Polícia vai investigar supostas infrações policiais

LONDRES, 25 Jan (Reuters) – Um inquérito interno sobre alegações de festas de bloqueio no escritório de Boris Johnson em Downing Street pode ser publicado já na quarta-feira, entregando descobertas que podem determinar o futuro do primeiro-ministro depois que a polícia também iniciou uma investigação.

Johnson está lutando por sua vida política depois de alegações de que ele e funcionários festejaram no coração do governo britânico, violando as regras que eles mesmos impuseram para combater a pandemia de coronavírus.

Revelações de folia, incluindo festas de bebedeira em Downing Street, malas de álcool de supermercado, balanço infantil, geladeira de vinhos e piadas da equipe sobre como apresentar essas festas aos repórteres, martelaram as classificações de Johnson.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

Na terça-feira, a comissária da Polícia Metropolitana de Londres, Cressida Dick, principal oficial britânica, disse que uma investigação foi aberta sobre vários eventos “em Downing Street e Whitehall nos últimos dois anos” para avaliar se crimes foram cometidos.

Houve especulações de que o anúncio atrasaria a publicação das conclusões de um inquérito interno feito pela autoridade sênior Sue Gray, que está examinando alegações de mais de uma dúzia de incidentes de violação de regras em Downing Street.

O relatório de Gray, que ela entregará a Johnson antes de ser publicado, é visto como crucial para seu destino, e ele e seus ministros disseram que as pessoas não deveriam chegar a nenhuma conclusão antes de sua divulgação.

READ  Enviados afegãos presos no exterior após retorno repentino do Taleban

O Financial Times e outros meios de comunicação informaram que se esperava que Johnson o recebesse na quarta-feira, e possivelmente seria publicado no final do dia ou na quinta-feira.

O porta-voz de Johnson disse que o momento era uma questão de Gray.

“Não vamos especular sobre o resultado. Cabe a ela decidir e vamos aguardar essa revisão”, disse o vice-primeiro-ministro Dominic Raab à Sky News.

‘CLAREZA’

Gray está analisando uma série de reclamações sobre festas realizadas em Downing Street quando a orientação do governo impôs limites rígidos à socialização.

Um porta-voz disse que Johnson não acredita que ele tenha infringido a lei em nenhuma das reuniões.

“Saúdo a decisão do Met (Polícia Metropolitana de Londres) de conduzir sua própria investigação porque acredito que isso ajudará a dar ao público a clareza de que precisa e ajudará a traçar uma linha sobre os assuntos”, disse Johnson ao Parlamento.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson caminha do lado de fora da Downing Street em Londres, Grã-Bretanha, em 25 de janeiro de 2022 REUTERS/Peter Cziborra

A ITV informou na segunda-feira que Johnson e sua agora esposa Carrie participaram de uma festa surpresa de até 30 pessoas em seu aniversário no Cabinet Room em Downing Street em junho de 2020, quando reuniões internas foram proibidas.

O escritório de Johnson descreveu a suposta festa como uma breve reunião de funcionários para lhe desejar um feliz aniversário, acrescentando que ele estava lá por “menos de 10 minutos”.

Ele já havia admitido participar de outra reunião em maio de 2020, organizada por uma ajuda que incentivava as pessoas a “trazer sua própria bebida”, mas disse acreditar implicitamente que era um evento de trabalho.

READ  A limpeza do rio Indonésia mata 11 alunos e resgata 10

Seu escritório também se desculpou com a rainha Elizabeth depois que descobriu que os funcionários festejaram até tarde da noite em Downing Street na véspera do funeral de seu marido, o príncipe Philip, em abril de 2021, quando a mistura em ambientes fechados foi proibida. O próprio Johnson estava em sua residência de campo naquele dia.

CONCURSO DE LIDERANÇA?

Relatos das reuniões fizeram com que as classificações de Johnson caíssem, com grande parte do público e alguns de seus 359 legisladores do Partido Conservador pedindo que ele renuncie.

Até agora, porém, houve menos do que os 54 legisladores necessários para desencadear um voto de confiança que poderia resultar em uma disputa de liderança, mas a paciência está se esgotando.

“Com a polícia investigando agora, esse pesadelo fica ainda pior”, disse no Twitter o conservador sênior David Davis, que já pediu a renúncia de Johnson.

Johnson sobreviveu a escândalos ao longo de sua carreira, mas seu cargo de primeiro-ministro, que abrange tanto a saída do Reino Unido da União Europeia quanto a pior pandemia em um século, foi definido pela turbulência.

Seu plano de 2019 para suspender o parlamento e forçar o Brexit foi derrubado pela Suprema Corte. Eventualmente, para o deleite de milhões que mudaram sua lealdade política para votar nele, ele negociou um acordo de divórcio com a UE.

Quando a pandemia atingiu, ele atraiu críticas por atrasar o fechamento do país. Ele quase morreu de COVID-19 antes de se recuperar para supervisionar o lançamento de uma vacina líder mundial.

Mas relatos de que ele e sua equipe estavam desrespeitando as regras impostas ao público britânico estão testando a lendária capacidade de Johnson de se recuperar.

READ  Quatro candidatos presidenciais filipinos, incluindo Pacquiao, não vão deixar a corrida

“Você quebra as regras, você tem que ir”, disse Ian Dowrich, 59, um construtor de Brentwood, Essex, que disse ter votado em Johnson.

O chefe de polícia Dick disse que a polícia normalmente não investigava todas as supostas violações de bloqueio, mas que, depois de receber algumas conclusões do inquérito de Gray, havia motivos para fazê-lo agora.

Registre-se agora para ter acesso GRATUITO e ilimitado ao Reuters.com

Reportagem adicional de Kate Holton, Kylie MacLellan, Helena Williams e Ben Makori; escrita por Guy Faulconbridge, William James e Michael Holden; Edição por Catherine Evans, Alexandra Hudson e Richard Pullin

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.