Junho 16, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Reforço de 21 milhões de euros para o enoturismo

Reforço de 21 milhões de euros para o enoturismo

O projecto, verificado pelo Programa de Avaliação Económica dos Recursos Endógenos (PROVERE), deverá estar concluído no terreno até 2027, disse o responsável da Organização Regional de Turismo (ERT) Alentejo e Ribatejo, disse à Lusa José Manuel Santos.

O responsável explicou que a estratégia regional de promoção do enoturismo combina investimento público e privado, reunindo muitos parceiros como comissões vitivinícolas, a Universidade de Évora, os Politécnicos de Portalegre e Beja e produtores.

“São 16 milhões de euros de investimentos privados” para “desenvolver adegas e criar novo enoturismo”, mas também “investimentos provenientes dos projetos públicos ERT do Alentejo e Ribatejo e de alguns municípios, daí o nome coletivo. inclui aspectos públicos, privados e subsidiários”, explicou.

Segundo José Manuel Santos, dos 20 projectos previstos para serem desenvolvidos no âmbito da estratégia candidata, nove são projectos comerciais.

Destacando que o setor do enoturismo é “estratégico” para a região, o presidente da ERT explicou que os politécnicos de Beja e Portalegre vão trabalhar para “apoiar a formação” dos profissionais do setor, ou seja, para desenvolver uma ferramenta informática.

“É uma ferramenta para compreender e categorizar o perfil do enoturista, parâmetro de gasto. É uma espécie de monitorização do enoturismo”, afirmou.

Os municípios, segundo José Manuel Santos, vão “investir muito” na criação de infraestruturas museológicas e de eventos de promoção do setor vitivinícola.

Depois de esta estratégia ter sido agora aprovada pelas entidades competentes, o Comité Diretor Alentejo 2030 solicitará através de “aviso/convocatória” que a ERT do Aentejo e Ribatejo desenvolva um plano de ação.

“Neste plano vamos delinear todas as iniciativas, programas e ações a promover, planeá-las e quantificá-las de forma concreta. Estamos a falar de um plano que vai durar até 2027”, destacou.

Presidente da ERT do Alentejo e Ribadejo, acredita que esta estratégia vai “dar uma grande musculatura” à comunicação e promoção do enoturismo em toda a região.