setembro 26, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Pró-Ucrânia supera pró-Rússia em protestos na Alemanha

Pró-Ucrânia supera pró-Rússia em protestos na Alemanha

HANNOVER/FRANKFURT (Reuters) – Os pró-Rússia realizaram comícios nas cidades alemãs de Frankfurt e Hanover neste domingo, disse a polícia local, já que superavam em número a Ucrânia.

A polícia disse que cerca de 600 manifestantes pró-Rússia em um comboio de 400 carros com bandeiras russas passaram pela cidade de Hanover, no norte da Alemanha, enquanto cerca de 3.500 apoiadores da Ucrânia se reuniram no centro da cidade.

Eles disseram que uma cerca foi erguida para separar os manifestantes pró-Rússia da manifestação rival, acrescentando que a atmosfera foi aquecida às vezes, mas ambos os protestos foram geralmente pacíficos.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Cerca de 235.000 cidadãos russos vivem na Alemanha, de acordo com estatísticas do governo no final de 2020. Cerca de 135.000 ucranianos viviam na Alemanha antes da invasão russa, a julgar pelas estatísticas, mas cerca de 300.000 pessoas chegaram desde a invasão da Ucrânia pela Rússia em 24 de fevereiro.

Em Frankfurt, cerca de 800 manifestantes pró-Rússia se reuniram para uma marcha pelo centro da cidade depois que as autoridades locais se recusaram a permitir a carreata, com alguns cantando “Rússia” e segurando uma faixa que dizia: “Verdade e diversidade em vez de propaganda”.

Cerca de 2.500 manifestantes pró-ucranianos se reuniram em dois outros locais em Frankfurt carregando faixas “Pare a Guerra” e bandeiras ucranianas em seus rostos.

Antes dos comícios de domingo, as autoridades disseram que os manifestantes tinham o direito de se reunir, mas que a propaganda de guerra da Rússia ou o endosso à agressão russa não seriam tolerados, informou a mídia local.

A polícia repreendeu alguns manifestantes em Frankfurt por gritarem “Donbass pertence à Rússia”, referindo-se à parte oriental da Ucrânia que faz fronteira com a Rússia.

READ  'Pandora's Papers' revela a fortuna oculta de Vladimir Putin

O presidente russo, Vladimir Putin, enviou suas forças para a Ucrânia no que chamou de “operação militar especial” para desarmar e “desarmar” a Ucrânia. A Ucrânia e o Ocidente dizem que Putin lançou uma guerra de agressão injustificada.

Registre-se agora para obter acesso ilimitado e gratuito ao Reuters.com

Reportagem adicional de Fabian Beimer e Erol Dogrodogan em Hannover, Kai Pfaffenbach, Andreas Berger e Frank Simon em Frankfurt e Victoria Waldrusy em Berlim. Edição por Jane Merriman e Barbara Lewis

Nossos critérios: Princípios de Confiança da Thomson Reuters.