janeiro 31, 2023

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Portugal foi atingido por fortes chuvas e inundações, com residentes aconselhados a ficar em casa

LISBOA, 13 Dez (Reuters) – Chuvas fortes atingiram partes da Península Ibérica nesta terça-feira, inundando ruas e destruindo carros, forçando autoridades em Portugal a fechar algumas estradas e mobilizar as forças armadas.

A Câmara Municipal de Lisboa colocou a cidade em alerta “vermelho” e apelou às pessoas para que fiquem em casa e evitem deslocações para a capital pelo estuário do rio Tejo.

Desde a meia-noite, a Comissão de Proteção Civil registou cerca de 1.500 incidentes em todo o país, principalmente em Lisboa e nos distritos de Santarém, Portalegre e Évora, incluindo ruas inundadas, metro, estações de comboio e comércio.

Um porta-voz das forças armadas disse que as autoridades civis buscaram ajuda para drenar a água das áreas inundadas.

As escolas de Oiras, distrito de Lisboa, foram encerradas e os alunos foram mandados para casa.

Existe um plano de emergência para o rio Tejo, que corre o risco de transbordar.

A agência meteorológica IPMA disse ainda que a chuva vai ser “forte e persistente” ao longo do dia.

O gabinete do prefeito disse na terça-feira que os ônibus e bondes da cidade não estavam funcionando, o metrô não estava totalmente funcional e algumas estações de trem estavam inacessíveis devido a inundações.

O mau tempo também paralisou a área metropolitana de Lisboa na última quarta-feira.

O supermercadista Elia Santos, de 33 anos, disse que a água entrou na sua loja em Algeciras, perto de Lisboa, na semana passada, mas “desta vez foi pior”, estimando que possa ter perdido pelo menos 6.000 euros em danos, sem contar os equipamentos elétricos.

READ  Cinco dos melhores futebolistas portugueses do século 21

“Está tudo perdido”, disse Artur Rosa, 57, depois que sua imobiliária inundou pela segunda vez em menos de uma semana.

“Foi uma destruição total – a janela foi quebrada, todos os móveis foram destruídos, todos… os documentos que deveríamos guardar por 10 anos.”

A chuva forte atingiu outras partes do país na terça-feira, com o IPMA emitindo um alerta meteorológico “laranja” para todos os distritos do continente, exceto um.

A vizinha Espanha também foi afetada, com a região centro-oeste da Extremadura o segundo maior estado de emergência. Um grupo de dez pessoas precisou ser resgatado após o desabamento de uma estrada devido às fortes chuvas.

A Câmara Municipal de Lisboa é criticada há anos por não ter construído infraestruturas à prova de inundações. As obras do túnel de drenagem de 5 km devem começar em breve, disse o prefeito Carlos Moedas.

“Você tem que pensar na infraestrutura – é uma questão de longo prazo”, disse Stefani Nolasco, 23, gerente de um restaurante inundado em Algés.

Reportagem de Pedro Nunes, Sergio Gonçalves, Caterina Demoni e Patricia Vicente Rua em Lisboa; Reportagem adicional de Emma Gonzalez em Madri; Edição de Andre Caleb e Janet Lawrence

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.