setembro 26, 2022

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Planeamento imobiliário em Portugal – Cinco coisas que precisa de saber

Garanta que sua propriedade seja distribuída de acordo com seus desejos e tributada da maneira mais eficiente possível.

Comece a revisão do planejamento do seu jardim aprendendo sobre algumas das principais características do sistema português e como isso pode afetar você e sua família.

1. A Lei das Sucessões Portuguesas impõe a ‘herança compulsória’

O primeiro passo no planejamento imobiliário é determinar para quem e em que medida seus bens devem ser deixados.
Portugal, no entanto, impõe restrições à liberdade de distribuição da sua riqueza. Se for residente em Portugal, a lei das sucessões determina que a parte permanente do seu património irá automaticamente para a sua família direta (de acordo com a definição estatal da família). Isso se aplica a todos os seus ativos globais, exceto imóveis não portugueses.

Como resultado, seu cônjuge, filhos (biológicos e adotivos) e escaladores diretos (pais e avós) podem ficar com pelo menos metade de sua propriedade, independentemente de suas intenções.

No entanto, você pode garantir que seus desejos sejam atendidos estabelecendo medidas específicas para a violação desta regra.

2. Você pode escolher se a lei britânica ou portuguesa se aplica à sua propriedade

Com a promulgação do Regulamento Sucessório da UE ‘Bruxelas IV’ em 2015, a lei sucessória do país em que você reside naturalmente se aplicará no momento da sua morte.

No entanto, os cidadãos estrangeiros podem optar pela lei sucessória do seu país – violando assim a herança obrigatória portuguesa. Você deve declarar isso explicitamente em seu testamento ou documento legal semelhante, e sua família não poderá escolhê-lo após sua morte.

E o Brexit? Embora este seja um regulamento da UE, sua elegibilidade para usar Bruxelas IV não mudou desde que o Reino Unido deixou a UE. Isso se aplica a qualquer pessoa que resida e/ou possua propriedades nos países participantes do Grupo, independentemente da nacionalidade da UE.

READ  Outubro é o mês mais caro para eletricidade

Lembre-se de que Bruxelas IV afeta apenas o direito dos herdeiros – você não pode escolher em qual país sua propriedade tem direitos tributários. Usar Bruxelas IV pode ser complicado e ter implicações fiscais indesejáveis, então explore todas as opções disponíveis para estabelecer o que funciona melhor para você e seus herdeiros.

3. O estatuto familiar determina quem paga o imposto sucessório português

Portugal não impõe um ‘imposto hereditário’ como o conhecemos, mas vai impor um ‘imposto de selo’ de 10% sobre os bens enviados no momento da morte ou como doação vitalícia.

Existem duas regras/exceções principais:
Os cônjuges, descendentes (filhos, netos) e ascendentes (pais) estão isentos deste imposto.
வரி Onde quer que o doador ou beneficiário se encontre, o imposto aplica-se apenas aos bens portugueses – maioritariamente imóveis. A propriedade no Reino Unido e em outros lugares está isenta.

Os filhos da madrasta não serão considerados uma família direta, portanto, pagarão esse imposto (a menos que sejam legalmente adotados). Da mesma forma, os parceiros que não são casados ​​ou em união de facto são também responsáveis, mas se informar as autoridades portuguesas após dois anos de convivência, deve ser considerado casado para efeitos fiscais.

4. Cada destinatário paga um imposto sobre herança

Ao contrário do Reino Unido, o imposto é normalmente pago antes de uma mudança de herança ou doação, em Portugal o contribuinte paga.

A propriedade da propriedade não pode ser alterada até que o imposto seja pago – a propriedade não pode ser vendida para fins fiscais. Alguns herdeiros podem achar difícil pagar impostos, especialmente em propriedades herdadas de alto valor, pois o imposto de selo é pago dentro de seis meses após a morte.

READ  Ideal Homes ajuda compradores de imóveis a candidatarem-se a uma hipoteca em Portugal

5. Você ainda pode enfrentar o imposto sucessório do Reino Unido

Mesmo que vivam em Portugal há muitos anos, os cidadãos do Reino Unido ainda podem ser considerados residentes do Reino Unido pelas receitas e alfândegas do HM. Isso pode resultar em impostos sobre herança no Reino Unido de até 40% sobre seus ativos globais (acima dos limites). Acresce ao imposto de selo português, mas existem medidas para evitar a dupla tributação sobre o mesmo imóvel.

A lei de cidadania é muito complexa, portanto, procure o conselho de especialistas para posicionar sua posição e planejar de acordo.

Facilite a vida de seus herdeiros

Finalmente, é importante entender como as regras sucessórias portuguesas se aplicam às suas intenções pessoais e circunstâncias únicas e como elas afetam sua responsabilidade no Reino Unido.

Você também precisa considerar como seu legado será herdado por seus herdeiros. Um presente adicional que você pode deixar para eles é um processo de herança simples e eficiente em termos de impostos. Tome uma atitude agora para que você possa transferir seus ativos para eles da forma mais rápida e fácil possível – por exemplo, com algumas estruturas de investimento, você pode transferir fundos sem a necessidade de estágio para seus beneficiários recomendados – e com o mínimo de impostos possível.

Com um planeamento cuidadoso e uma consulta especializada e transfronteiriça, pode ter a certeza de que tem o plano imobiliário mais adequado para si e para os seus herdeiros escolhidos.

As taxas de imposto, escopo e alívio podem variar. Qualquer relatório sobre tributação é baseado em nosso entendimento das leis e procedimentos tributários atuais sujeitos a alterações. As informações fiscais são resumidas; Os indivíduos devem procurar aconselhamento pessoal.

READ  Novo hotel Hilton abre em Lisboa

Fique atualizado na página de notícias da Blevins Franks sobre questões financeiras que podem estar afetando você www.blevinsfranks.com

De Sharon Farrell
|| features@algarveresident.com

Sharon Farrell é sócia dos Flevins Franks em Portugal.

www.blevinsfranks.com