Junho 25, 2024

O Ribatejo | jornal regional online

Informações sobre Portugal. Selecione os assuntos que deseja saber mais sobre a Folha d Ouro Verde

Petróleo subiu mais de 2% com medo de recessão

Petróleo subiu mais de 2% com medo de recessão

  • Petróleo sobe após três quedas semanais consecutivas
  • Goldman Sachs diz que temores de demanda são “exagerados”
  • Os dados de inflação dos EUA e o relatório da OPEP estão sob o microscópio esta semana

CINGAPURA (Reuters) – Os preços do petróleo subiram mais de 2% nesta segunda-feira, uma vez que os temores de recessão nos Estados Unidos diminuíram e alguns traders consideraram exagerada a queda de três semanas no petróleo devido às preocupações com a demanda.

O petróleo Brent subia US$ 1,57, ou 2,1 por cento, para US$ 76,87 o barril às 11h19 EDT (1519 GMT). O petróleo US West Texas Intermediate subiu US$ 1,73, ou 2,4%, para US$ 73,07.

Um relatório otimista de empregos nos EUA para abril ajudou o petróleo a subir cerca de 4% na sexta-feira, embora a força do mercado de trabalho possa forçar o Federal Reserve a manter as taxas de juros mais altas por um tempo.

O Brent terminou a semana passada em queda de cerca de 5,3%, enquanto o petróleo dos EUA caiu 7,1%, mesmo após a recuperação de sexta-feira. Ambos os benchmarks caíram por três semanas consecutivas pela primeira vez desde novembro.

“A recuperação do petróleo (na segunda-feira) segue o retorno das ações de energia em Wall Street na sexta-feira passada, depois que os EUA relataram dados fortes sobre empregos, diminuindo as preocupações sobre uma recessão iminente”, disse Tina Ting, analista da CMC Markets.

As preocupações bancárias atormentaram o mercado recentemente após o colapso de três grandes bancos regionais. No entanto, na segunda-feira, as ações dos bancos regionais ampliaram os ganhos após a recuperação na sexta-feira.

“O mercado está menos preocupado com uma crise bancária que pode levar a uma recessão e prejudicar a demanda”, disse Phil Flynn, analista do Price Futures Group.

Ole Hansen, chefe de estratégia de commodities do Saxo Bank, disse que a recente queda no petróleo parece excessiva.

“A condição de sobrevenda no mercado combinada com o Brent conseguindo encontrar suporte antes do declínio de março forçou os vendedores a descoberto recentemente estabelecidos a buscar cobertura, potencialmente destacando que a recente liquidação foi exagerada”, disse ele.

Analistas do Goldman Sachs disseram no sábado que as preocupações sobre a demanda de curto prazo e o aumento da oferta são “exageradas”.

Uma rodada de cortes voluntários na produção de alguns membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e aliados, chamada de comunidade Opep+, começa neste mês e o grupo realiza sua próxima reunião em 4 de junho.

Antes disso, os números da inflação dos preços ao consumidor dos EUA em abril estarão em foco na quarta-feira, o que pode influenciar a posição do Fed sobre futuras decisões sobre taxas de juros.

O último relatório mensal do mercado de petróleo da OPEP será divulgado na quinta-feira, fornecendo uma leitura atualizada das previsões de oferta e demanda.

(Reportagem) Por Sudarshan Varadhan. Edição por Sonali Paul

Nossos padrões: Princípios de confiança da Thomson Reuters.